Por Parabólica
Em 31/07/2020

Bom dia,

Hoje é sexta-feira (31.07), último dia da semana e do mês. Tem muita gente contando os dias e querendo que o tempo passe mais rápido possível para chegar logo à descoberta de uma vacina -claro, também sua produção em escala; e sua aplicação em massa na população-, único meio definitivo de combater a pandemia da Covid-19. Todos já sabemos, os resultados até agora conseguido nas pesquisas mundo à fora são muito animadores, tanto que os grandes laboratórios começam a guerra comercial para ver quem consegue fidelizar mais mercados. E nesses tempos de tanto mimimi, é bom lembrar aos gananciosos de plantão que o direito à vida é o maior de nossos valores, ao lado da liberdade. Por isso, a descoberta e comercialização de uma vacina contra a Covid-19 não pode ser vista como um negócio de ocasião, mas como uma conquista da humanidade, sem direito ao usufruto de lucro de ocasião.

EFICAZ 1

A redução dos níveis de pobreza no Brasil -em plena pandemia e com os níveis de desemprego nas alturas-, foi, sem lugar à duvidas, uma decorrência do pagamento do auxílio emergencial feito pelo governo federal, em cinco parcela e valores que variam de 600 a 1.200 reais. O resultado comprova as conclusões de um estudo antigo feito pelo Instituto de Estudos e Pesquisas Aplicadas (IPEA), órgão do Ministério da Economia, que mostra a eficácia de distribuição de renda quando ela é feita diretamente para as mãos da população. O estudo mostrou que a maior parte dos recursos destinados a programas sociais se perde nos dutos da corrupção r da burocracia.

EFICAZ 2

O estudo do IPEA comprovou que o resultado, em termos de benefício recebido pelas pessoas pobres, de um programa social qualquer de distribuição de renda era muito maior, se o governo utilizasse um helicóptero e jogasse dinheiro na rua para ser apanhado pela população, que se a grana fosse utilizada em outro tipo de programa social. Agora, apesar de alguns percalços devido a número imenso de beneficiários -que diga-se de passagem, foram mínimos dada a situação de emergência de sua concepção e execução-, os resultados comprovam o que o estudo do IPEA checou. Sem intermediários, apenas com a intermediação competente da Caixa Econômica Federal (CEF), os resultados mostraram-se eficazes em termos de redução da pobreza.

AQUI

Em Roraima, a primeira tentativa de distribuição direta de renda para a população pobre foi realizada pelo governo de Flamarion Portela (2006) através de dois programas: Vale Alimentação e Vale Custeio. O primeiro visava atender as pessoas, que situadas abaixa da faixa de miséria, viviam nas áreas urbanas e rurais, inclusive indígenas. O segundo objetivava conceder um auxílio mínimo a agricultores familiares para compra de insumos para o plantio de gêneros alimentícios. Os programas foram mantidos por sucessivos governos estaduais até ser extinto pelo atual governo de Antonio Denarium (sem partido). Este ano, a atual administração fez retornar o programa criado por Flamarion Portela, agora rebatizado de Renda Cidadã, e com um universo de beneficiários que não chega a mil pessoas. E Roraima, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem mais de 33% das pessoas vivendo abaixo da faixa de pobreza.

INSUSTENTÁVEL

Claro, não é sustentável manter um programa de distribuição direta de renda nos moldes e na dimensão desse implementado agora pelo governo federal por conta da miséria ampliada pela pandemia da Covid-19, mas os resultados indicam que é preciso encontrar mecanismos urgentes de redução da miséria no Brasil, em isso o futuro do país resta prejudicado. O melhor seria, evidentemente, a geração do emprego para a população, mas isso não acontece de uma hora para outra, por isso, nesta hora em que se pensa criar um imposto sobre transação financeira, que tal destinar algum recurso dele oriundo para manter o programa até que o emprego chegue.

RÁPIDAS

E o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) continua a política de não utilizar figuras humanas como efígie de nossa moeda. Tudo por conta da desconstrução de nossa história -destruíram os construtores de nossa pátria; e em nome do ambientalismo colocaram os bichos -agora é a vez do Lobo Guará na nota de 200 reais-, para enfeitar nossas cédulas. ### Está chegando o prazo para que apresentadores de programas em rádio e televisão, que desejam ser candidatos nas próximas eleições municipais, peçam afastamento. O prazo é 10 de agosto próximo. ### E candidatos, partidos, advogados e contadores tem uma excelente oportunidade para aprender como lidar melhor com os recursos da campanha eleitoral. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RR) está oferecendo um curso “online” sobre prestação de contas. No site da instituição tem apostilhas, vídeo aulas e avaliação de aprendizagem. ### O rombo nas contas do governo federal no primeiro semestre de 2020 é de quase meio trilhão. E o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (Democratas-RJ) já avisou: nada de aumento de impostos como quer o ministro da Economia, Paulo Guedes. Vem crise política por aí. ### Até segunda-feira, já em agosto.     

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!