Por Parabólica
Em 11/01/2021

Bom dia,

Hoje é segunda-feira (11.01). Os roraimenses acordam esta manhã tomados de dois sentimentos simultâneos. De um lado, um pouco de alegria ao saber que o governo federal, via do Ministério da Saúde, anunciou através do assessor especial do ministro Eduardo Pazzuelo, Airton Cascavel, que, no máximo até o dia 8 de fevereiro, os primeiros roraimenses começarão a ser vacinados. Até lá, devem ser entregues à Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), algo em torno de 190.000 doses de vacina, para serem redistribuídas entre os 15 municípios do estado.

Os primeiros a serem vacinados, segundo Airton Cascavel, serão o pessoal que trabalha no combate ao vírus, os indígenas, as pessoas acima de 70 anos e os portadores de morbidades importantes. Cascavel, ainda adiantou  em entrevista exclusiva ao programa Agenda da Semana da Rádio Folha FM 100.3  de ontem, domingo, que este cronograma pode ainda ser antecipado para o mês de janeiro, provavelmente para o dia 27, caso a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorize nos próximos dias o uso emergencial da Coronavac, a vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, em parceria com a empresa chinesa Sinovac. Boas notícias, que enchem de alegria e trazem uma tranquilidade esperançosa de que existe uma luz no final do turno indicando que podemos votar logo à normalidade.

De outro lado, os roraimenses que sabem, e acreditam na gravidade da pandemia trazida pelo vírus chinês Covid19, estão tomados de fundadas preocupações com a possibilidade de agravamento da pandemia aqui em Roraima trazida pela segunda onda de infecção que está grassando no estado do Amazonas, levando ao caos o sistema de saúde pública e privada, especialmente na sua capital, Manaus. Roraima está umbilicalmente ligado com o Amazonas por via área, fluvial e rodoviária. São centenas de pessoas e milhares de toneladas de carga que diariamente circulam entre os dois estados, principalmente entre Boa Vista e Manaus.

Apesar desse movimento intenso, não se tem qualquer notícia de que autoridades do estado e do município de Boa Vista, tenham adotado quaisquer providências preventivas para minimizar os efeitos que essa segunda onda de infecção do vírus no Amazonas, vai trazer necessariamente para Roraima. Ao contrário, apesar do quase esgotamento da estrutura hospitalar, estadual e municipal, o que se sabe é que está sendo desmontada a estrutura da Área de Proteção e Cuidado (APC), que desafogou o Hospital Geral de Roraima, no momento  mais crítico da pandemia no estado. Até mesmo da Unidade Básica de Saúde (UBS), da prefeitura de Boa Vista, que funcionava naquela APC, foi desativada. Em tempo: a desativação da UBS foi determinada ainda na administração da prefeita Teresa Surita (MDB).

E quando estamos falando de providências preventivas, não queremos nos reduzir a questão da infraestrutura hospitalar e ambulatorial, tais condutas alcançam a necessidade da adoção de processo de controle das pessoas que chegam do Amazonas pelo meio aéreo, rodoviário e fluvial. Alcançam igualmente, o provimento antecipado de um estoque mínimo de medicamentos e equipamentos necessários ao combate a pandemia, bem como o reforço na contratação emergencial de pessoal médico e paramédico. Até mesmo, para formar equipes multiprofissionais para atendimento domiciliar, como preconiza o médico infectologista Joel Terra, como estratégia de redução da demanda por leitos hospitalares e ambulatoriais.

RÁPIDAS

O ex-deputado federal, Airton Cascavel, assessor do ministro da Saúde Eduardo Pazzuelo, disse a Rádio Folha FM 100.3, que o governo federal vai repassar emergencialmente mais R$ 12,5 milhões, para que o estado e os municípios, possam enfrentar a segunda onda de infecção da Covid19. Tomara que façam bom uso dessa grana. ### E os planos privados de saúde, hein? Estão aumentando o preço abusivamente, sob os olhares complacentes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Nalguns casos, especialmente para os mais velhos, o reajuste chega a dobrar. Um escândalo. ### A Anvisa permite que esses planos massacrem os consumidores sob o argumento de que os preços não foram reajustados ano passado por conda da Covid19. Em tempo: o lucro desses empresas foi bilionário em 2020, apesar de não ter havido reajuste; enquanto isso a renda média dos brasileiros e das brasileiras, principalmente dos aposentados e pensionistas vem caindo. ### Pois é, o deputado estadual Jânio Xingu (PSB), que é primeiro vice-presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE) afirmou, ontem, na Rádio Folha FM 100.3, que a Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2021, será aprovada ainda esta semana. Apesar de ainda não ter sido indicado o relator da matéria. ### Até amanhã.                                        

  

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!
Últimas de
Parabólica
+ Ler mais artigos de Parabólica