Por Parabólica
Em 04/08/2020

Bom dia,

Hoje é terça-feira (04.08). A pressão, interna e internacional, contra o governo Bolsonaro em torno da questão ambiental e indígena continuam aumentando. Está se transformando num verdadeiro cerco, alimentado por algumas informações corretas -o número de queimadas na Amazônia e no Pantanal tem realmente aumentado-; e por ameaças mentirosas arquitetadas por grupos econômicos internacionais. Apesar das pressões, o governo federal, cuja coordenação das ações na Amazônia foi entregue ao vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), não demonstrou, pelo menos até agora, qualquer intenção de mudar seu olhar e conduta para com a região.

Num primeiro momento o vice-presidente Mourão anunciou, e fez publicar, decreto presidencial suspendendo por quatro meses a autorização de queimadas. Mesmo ilegal na Amazônia. Daqui da Parabólica dissemos que essa medida não iludia ninguém, e que não seria suficiente para reprimir o avanço das chamas na região, por isso as pressões continuariam. Dito e feito, os últimos dados revelados pelo próprio governo demonstram que os focos de queimada continuam batendo recordes. Com efeito, grupos econômicos muito fortes e que desmatam estão entre os maiores apoiadores do governo Bolsonaro, e não acreditam que serão punidos por conta dos crimes que estão praticando.

Por outro lado, as ameaças que foram articuladas por grupos de ambientalistas, parte da poderosa mídia ambientalista e por organizações não governamentais, no sentido de que o agronegócio brasileiro iria ser prejudicado e boicotado no mercado internacional, estão longe de ser concretizadas. Os números do balanço comercial brasileiro para o primeiro semestre deste ano, divulgados pelo Banco Central, estão batendo todos os recordes apesar da pandemia, e o que puxa esses resultados é o volume das exportações do agronegócio. E por uma única razão, o mundo precisa de alimentos e os nossos agricultores são extremamente competentes. O resto é mera ameaça. Que não resiste as forças do mercado.

ROLO COMPRESSOR

Se dependesse da força de aglutinação dos deputados estaduais e do presidente da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), Jalser Renier (Solidariedade) a candidatura do seu colega de partido, o deputado federal Otaci Nascimento, passaria como um rolo compressor sobre os demais candidatos que se apresentam como adversários da atual prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (MDB). Nada menos que 19 dos 24 deputados estaduais, inclusive o próprio Jalser, já declaram explicitamente apoio à pré-candidatura de Otaci. Os outros cinco que sobraram (Catarina Guerra, Marlon da Miragi, Gabriel Picanço, Tayla Peres e Eder Lourinho) ainda resistem, por razões pessoais ou partidárias, seguir a orientação do presidente da ALE.

RAZÃO

A liderança inconteste do deputado Jalser Renier entre seus companheiros de Assembleia Legislativa, demonstrada nessa época de preparação das candidaturas com vista à eleição municipal de novembro próximo, revela a razão pela qual o governador Antonio Denarium (sem partido) desistiu de enfrentá-lo como vinha acontecendo para costurar uma grande aliança que resultou na nomeação de Marcelo Lopes para comandar a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau). Á época, Jalser tinha nas mãos dois pedidos de impeachment contra Antonio Denarium e o número de adesões à candidatura de Otaci indicam que o impedimento do governador era uma realidade quase concreta.

EMPOSSADO

E o novo presidente da República Cooperativista da Guiana, Irfaan Ali, tomou posse logo depois da proclamação dos resultados. Além de já ter nomeado quatro ministros, o novo presidente fez de seu mentor, o ex-presidente Bharrat Jagdeo seu vice presidente e entregou a ele a coordenação geral do governo de transição, numa demonstração de que a nova presidência será compartilhada com o velho líder, que só não voltou a presidência por conta da proibição de reeleição por mais de dois mandatos naquele país caribenho. A grande expectativa dos empresários roraimenses é saber se o novo governo vai dar prioridade ao asfaltamento de estrada que liga Lethem a Lindem.

RÁPIDAS

Fontes da Parabólica garantem que a pré-candidatura de Gerlane Bacarin (Progressistas) à Prefeitura Municipal de Boa Vista (PMBV) deverá ganhar um grande reforço até o final da semana ### Já a pré-candidatura ao mesmo cargo da deputada Sheridan Oliveira (PSDB) só deverá ser decidida na próxima semana. A deputada, suas duas filhas e o marido estão em processo de recuperação depois de terem contraído a Covid-19. ### A decisão do deputado estadual Renato Silva (Solidariedade) de apoiar a pré-candidatura do deputado federal Otaci Nascimento é prova de que os ânimos internos na ALE voltaram à normalidade, depois daqueles áudios vazados faz duas semanas ### Para contornar as resistência do corpo técnico da Fundação Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (FEMHAR) para emissão de licenças ambientais a projetos de baixo impacto, o  governador Antonio Denarium está conversando com prefeitos/prefeitas do interior para que as prefeituras emitam esses tipo de licenciamento. O governo do estado vai transferir verba para a manutenção desse serviço. ### Até amanhã.

Parabólica
parabolica@folhabv.com.br
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!