Concessionária desiste de construir Linhão e pede indenização milionária - Folha de Boa Vista
CRISE ENERGÉTICA
Concessionária desiste de construir Linhão e pede indenização milionária
Transnorte Energia, formada pela Eletrobras e a empresa Alupar, solicitou a desistência da construção do Linhão de Tucuruí e R$ 534 milhões de indenização
Por Folha Web
Em 10/09/2016 às 11:01
Obras do Linhão que interligaria Roraima ao Sistema Nacional de Energia estão paradas (Foto: Arquivo Folha)

A crise energética em Roraima está longe de ter um fim. A concessionária Transnorte Energia (TNE), formada pela Eletronorte e a empresa Alupar, informou à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que irá devolver a concessão para a construção do Linhão de Tucuruí, entre Manaus (AM) e Boa Vista, que iria interligar o Estado ao Sistema Integrado Nacional (SIN).

O pedido de rescisão havia sido entregue pela empresa ainda no final do ano passado e foi novamente reforçado agora. À época, a concessionária justificou as pendências que envolvem o atraso na emissão das licenças necessárias e carta de anuência dos Waimiri-Atroari.

Além de desistir da conclusão da obra, a concessionária deve pedir ao Governo Federal uma indenização de R$ 534 milhões. O valor foi baseado em um estudo financeiro realizado pela Fundação Getúlio Vargas, que estimou os gastos da companhia desde 2011, época em que a obra empresa ganhou o direito de concessão.

Matéria completa na edição impressa da Folha de Boa Vista desta segunda-feira, 12.

 

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
0
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
RIPA NA XULIPA disse: Em 14/09/2016 às 11:43:38

"avaliando o outro ponto de vista, a empresa tem que pedir indenização mesmo!!! meia dúzia de baderneiros ficam empacando uma obra de suma importância para nosso estado, índios tem agua, luz, energia, educação, transporte, remédios e outros TUDO DE GRAÇA! NÃO CAÇAM e NÃO PLANTAM(são pouco os que fazem isso) e ainda a FUNAI O USA DE ESCUDOS... queria que saísse dos bolsos dos funcionários da Funai, pois a empresa não tem culpa da incompetência de órgãos usurpadores desta nação em decadência... MAIS 2018 VEM AI!!! TEM UM CARA QUE VAI EXPULSAR ESSAS ONGS SANGUE-SUGAS!!!"

Saúde Caburai disse: Em 11/09/2016 às 15:16:03

"Roraima deve parabenizar a Funai e Wamiri-atroari"

Roraima disse: Em 11/09/2016 às 14:54:49

"Alupar, de Paulo Godoy, já recebeu R$ 527,5 milhões do FI-FGTS e quer mais R$ 300 milhões; empresa é a mesma que, segundo o MP do Ceará pagou ?propina? ao petista José Adalberto da Silva, famoso por transportar dinheiro nas partes íntimas; http://www.brasil247.com/pt/247/economia/27205/Empresa-dos-d%C3%B3lares-na-cueca-%C3%A9-s%C3%B3cia-do-FGTS.htm "

xps disse: Em 11/09/2016 às 11:37:06

"o futuro energético de Roraima é a energia eólica! "

RIPA NA XULIPA disse: Em 14/09/2016 às 11:48:31

"parabéns pelo comentário, porém acho que o futuro de Roraima depende do Linhão de Tucuruí, porém as outras energias renováveis como a eólica e fotovoltaica(energia solar) complementaria a eficiência energética como um todo, pois estamos isolados da nação a qual pertencemos."

Rildo Lopes disse: Em 11/09/2016 às 00:24:53

"Engraçado sempre pensei que aquele que rescindisse o contrato era que pagaria a multa. Mas ai lembro que estamos falando de Governo e dinheiro do povo."

ladislau Rodrigues de moura disse: Em 10/09/2016 às 19:16:45

"Tenho certeza que isso vai sair, afinal temos políticos sério e comprometido com o desenvolvimento de Roraima..."

Abílio Monção disse: Em 10/09/2016 às 17:36:21

"Alem tragico, tambem é comica a nossa situação energetica. "