CARACARAÍ
Moradores relatam abandono de escola e de posto de saúde
Por Minervaldo Lopes
Em 26/01/2018 às 01:10
Estrutura do prédio da Escola Francisca de Souza Soares está comprometida (Foto: Divulgação)

Moradores da Vicinal São Sebastião, situada no Município de Caracaraí, na região Centro-Sul do Estado, denunciaram a situação de abandono na escola e no posto de saúde da localidade. Além da estrutura física comprometida, faltam profissionais para atender a população, que se sente desassistida pelo poder público.

À Folha, a dona de casa Maria Dias informou que a situação de abandono acontece desde a gestão municipal anterior. O fato já teria sido comunicado para a atual prefeita de Caracaraí, Socorro Guerra (Pros), mas que até o momento nada foi resolvido. “O mato está tomando conta de tudo. A escola, por exemplo, está com estrutura cheia de problemas, com risco de cair na cabeça das crianças. A prefeita nunca apareceu aqui e tem vereador que ganhou a eleição, mas sequer veio até aqui para agradecer os votos”, relatou.

Por meio de um vídeo, a moradora mostrou os problemas com os quais as crianças da comunidade convivem quase que diariamente. A escola, batizada com o nome Francisca de Souza Soares, está com a estrutura de madeira totalmente comprometida pela ação de cupins. Há rachaduras no chão da unidade escolar e o mato cobre boa parte da unidade. “Não tem como essas crianças aprenderem nada, pois a estrutura da escola é muito precária. Pior ainda é que só há uma professora concursada para atender as demandas de lá. A prefeitura sabe do problema, mas até hoje nunca fez nada”, disse.

Ainda segundo Maria Dias, por conta da situação, a unidade tem sido alvo fácil para ação de ladrões. “Esses dias, por exemplo, ladrões arrombaram a escola e levaram o botijão de gás. Fizeram o registro da ocorrência, mas autoridade nenhuma toma providência. Simplesmente abandonaram as crianças e os pais da vicinal”, reclamou.

Já em relação ao posto de saúde, a reclamação fica por conta da falta de atendimento na unidade, que atualmente encontra-se fechada. Quem precisa de atendimento precisa recorrer às unidades nas sedes de Caracaraí e Rorainópolis, o que aumenta as despesas dos moradores daquela comunidade.

“Os exames de malária, por exemplo, estão sendo feitos em uma casa de farinha que fica na parte dos fundos, porque o posto não funciona. Se a gente precisa de serviço, tem que ir para a sede de Caracaraí ou de Rorainópolis, porque nem em Novo Paraíso está tendo médico. Infelizmente o posto de saúde da vicinal está servindo apenas de abrigo para cupim e morcego”, comentou.

OUTRO LADO – A Folha entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Caracaraí, mas não obteve resposta até o fechamento da matéria, até as 18 horas. (M.L)

***
Gostou?
4
3
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!