GRAVIDEZ
7 coisas que as mães de primeira viagem devem saber
Por Folha Web
Em 28/12/2017 às 00:15
Uma série de medidas pode ser adotada na tentativa de vencer os obstáculos do aleitamento materno (Fotos: Divulgação)

Um filho não vem com manual de instruções. É no dia a dia, errando e acertando, que uma mulher aprende a ser mãe. Apesar disso, alguns conselhos podem ajudar as mamães a viverem a maternidade com mais leveza e menos cobranças. 

Insista na amamentação

Todos sabem que o leite materno é o melhor alimento que os pequenos podem receber nos primeiros meses de vida. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a amamentação seja exclusiva até os seis meses e, com a introdução dos sólidos, seja complementar até os dois anos de idade. Apesar de todos os benefícios, muitas mães enfrentam dificuldades no início desse processo. O importante é ficar calma e não deixar a ansiedade tomar conta! No início pode, sim, ser bastante doloroso, o formato do bico do seio pode interferir na pega correta do bebê, desencadeando fissuras. Mas nada disso é determinante para o insucesso do aleitamento materno. Por isso, lembre-se de que você não está sozinha e, diante de qualquer problema nos primeiros dias de vida do seu filho, busque a ajuda de enfermeiros, médicos ou doulas.

Não amamentar não torna você menos mãe

Uma série de medidas pode ser adotada na tentativa de vencer os obstáculos do aleitamento materno. Mesmo assim, nem sempre é possível prosseguir com a amamentação. Se esse é o seu caso e você já fez tudo o que estava ao seu alcance, mas não deu certo, não se culpe! Não dar o peito e precisar recorrer à mamadeira não define o amor e o vínculo que você estabelece com o seu filho.

Não leve os palpites tão a sério

É claro que ouvir a opinião da mãe, da sogra, das tias e de pessoas próximas que já tiveram filhos ajuda, mas é muito importante tomar cuidado e filtrar o que elas dizem. Guarde somente os conselhos construtivos, que você acha que têm fundamento. Descarte os desnecessários! Você vai ver que as coisas acontecem de outra forma na prática. Então, sempre considere o seu sexto sentido. Sabe a máxima de que instinto de mãe não falha? Pois é, na maioria das vezes as mães sabem o que é melhor para os filhos!

Evite comparações

“Mas a fulana voltou tão rápido ao corpo que tinha antes de engravidar”, “esse bebê é tão calminho, quase não chora”. Pensamentos assim não vão acrescentar em nada porque cada um é único! Além disso, nem sempre o que é mostrado nas redes sociais é verdade. Concentre-se em fazer o melhor que você pode para o seu filho, respeite o seu tempo e o dele e esqueça as comparações. Você será muito mais feliz!

É normal ter medo

Uma situação nova quase sempre gera dúvidas e insegurança. No começo, você pode ter receio de ficar sozinha com o bebê, de trocá-lo ou dar banho, assustar-se quando ele chora sem parar… Mas as coisas vão se ajeitando com o tempo. O mais importante é respeitar o que você está sentindo e se lembrar de que você faz tudo o que pode para ver seu pequeno feliz!

Apesar da felicidade, você pode se sentir um pouco triste

Você se planejou tanto para a chegada do pequeno, decorou o quarto, organizou o enxoval. Mas, de repente, tudo muda e a expectativa e alegria de realizar o sonho da maternidade dão lugar para uma tristeza inexplicável. Isso acontece devido às alterações hormonais e, também, às mudanças que ter um filho traz para a vida das mulheres. Depois do nascimento do bebê, muitas mães ficam melancólicas e passam pelo Baby Blues. Se isso acontecer com você, não se desespere! Confie na sua capacidade e, se for necessário, procure um especialista.

Você descobrirá que é mais forte do que imagina

A maternidade traz uma força incrível para as mulheres! Não há o que temer: diante dos momentos difíceis – de choro, cólica, dores ou noites mal dormidas – você descobrirá que tem muita coragem para zelar pelo seu filho.

Fonte: Bebê.com.br

***
Gostou?
0
5
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!