POLÍTICA
Administração do poder público é a mesma há 30 anos, diz Shéridan
Por Folha Web
Em 12/02/2018 às 01:33
A deputada Shéridan de Oliveira: “As prioridades ainda são as mesmas desde a criação do estado” (Foto: Diane Sampaio)

Em entrevista ao Programa Agenda da Semana, na Rádio Folha AM 1020, domingo dia 11, a deputada federal Shéridan de Oliveira (PSDB) disse que o modo de administrar o poder público em Roraima, tanto na esfera estadual, quanto nas municipais, é o mesmo de quase 30 anos atrás. 

Ressaltou que as figuras que comandavam o estado no início de sua criação se revezam no poder e continuam com as mesmas práticas apesar do transcorrer dos anos.

Nascida e criada em Roraima, Shéridan afirma que por anos vê os mesmos grupos se alternando no poder. “Recordo que na minha infância, Teresa Surita era prefeita de Boa Vista. Ela saiu e voltou diversas vezes. E as práticas são as mesmas. Lembro-me de brincar na rua quando o caminhão pipa passava aguando as plantas na rua. Outro dia estava em frente a minha casa e para minha surpresa vi a mesma cena. Isso me fez refletir que nada mudou”, disse.

Em relação ao Senado, afirma que as mesmas figuras se repetem. “Romero Jucá está há quase 24 anos no poder, se reeleito passará dos 30. Isso não pode acontecer. Temos que ter alternância, se não houve precisamos mudar. Precisamos de governantes e representantes que lutem pela interligação de nosso estado ao Sistema Interligado Nacional de distribuição de energia. Que destravem a regularização fundiária. O que vemos é alguém, que deveria estar lutando por Roraima, travar o nosso desenvolvimento. Enquanto continuamos aqui, estagnados”, afirmou.

Cumprindo o último ano de seu primeiro mandato como deputada federal, Shéridan afirmou que a rotina e as constantes viagens entre Brasília e Roraima fizeram-na sentir falta de casa. Por isso, falou da possibilidade de concorrer a uma das 24 cadeiras da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR).

“Gosto de estar perto da minha família e do povo que me elegeu. Sinto que posso fazer isso acontecer estando em Roraima. Acredito que assim poderia lutar mais pelos interesses do estado”, detalhou.

Quanto às eleições majoritárias, afirmou que na esfera estadual pretende apoiar a candidatura do ex-governador José de Anchieta (PSDB) ao governo. Na disputa pela presidência, deve apoiar a candidatura de Geraldo Alckmin.

“Acredito que este é o caminho para o desenvolvimento do estado e do país. Além disso, é importante ressaltar que até o momento, qualquer aliança com o MDB, partido do atual presidente da República e do senador Romero Jucá, está descartada”, concluiu.

Deputada defende reforma da previdência e diz que momento não é o ideal

Ainda durante o programa Agenda da Semana, a deputada Shéridan de Oliveira, ressaltou que a reforma da previdência é necessária, uma vez que é deficitária e o problema se arrasta ao longo dos anos. Ressaltou que a medida deve ser analisada com calma e não às pressas e na véspera do período eleitoral.

“Essa é uma pauta constante, na verdade é uma agonia que a sociedade brasileira experimenta e vive hoje. A gente não discute o mérito, pois todo brasileiro entende a situação deficitária, os grandes problemas que a previdência tem causado, mas toda e qualquer reforma tem como premissa básica, a promoção da justiça”, declarou.

Ela destacou que a intenção é promover um equilíbrio. “A distinção que existe entre o servidor da iniciativa privada e o trabalhador público é grande e não é justa. Ouvimos grande barulho de setores específicos, advogando em causa própria também”, disse.

Shéridan entende que o projeto da reforma previdenciária foi apresentado à sociedade brasileira em momento inadequado. “Ela tem sofrido desgaste ao longo dos meses, pela forma como apresentada. Foi descaracterizada e promove uma grande inversão ao passo de que toda reforma deveria promover inicialmente a justiça. Não é justo, no momento em que o Brasil vive um período de descobrimento de tanta coisa injusta vindo à tona. Sabemos que mais cedo ou mais tarde isso viria a acontecer”, disse.

Saúde Caburai disse: Em 13/02/2018 às 12:45:12

"1° Conte uma novidade na política do NORTE; 2° Que lapa de testa 3° Não vejo melhoras a curto prazo... "

concurseiro disse: Em 12/02/2018 às 08:23:26

"Primeiro que a previdência não é deficitária e sim mal gerida. Recente trabalho realizado pelo Sindicato dos Auditores da Receita Federal do Brasil demonstrou que não há déficit, pelo contrário é superavitária. Outro ponto importante é cobrar o crédito tributário dos grandes devedores e sonegadores da previdência que são os grandes empresários, quase sempre parlamentares. Terceiro: não há regalias do servidor público, este contribui em folhas em dias e mesmo assim o governo está apropriando indevidamente da contribuições previdenciárias, inclusive os 11% dos segurados para financiar outros gastos como é o caso do IPER e pasmem: com o aval do tce e ale. Por falar de privilégios é bom citar a aposentadoria de parlamentares essa sim é deficitária pois basta contribuir por 8 anos ao contrário do eleitor cidadãos que o faz por 35 anos e ninguém fala dessa injustiça. o que a senhora acha disso? e da pensão vitalícia de ex governadores temos exemplo disso em Roraima. Estamos de olho nos parlamentares , o Brasil mudou e muitos não vão voltar à casa podem apostar. Tiririca dizia que não sabia o que faz um parlamentar e envergonhado se despediu da política sem responder a pergunta, aliás não há muito o que dizer além do que vemos todo dia. O Brasil jamais será um país desenvolvido enquanto não mudar a política para uma questão de estado e não partidária, o estado interferir menos na vida privada, mudar o sistema tributário onde o cidadão pobre financia o estado, a corrupção e só leva pau na saúde, segurança, infraestrutura, trabalho, moradia, liberdade. Fico pensando como um país que ter progresso se numa manifestação pacífica para cobrar todos esses direitos que citei anteriormente, vão 100, 200, talvez 1000 pessoas, enquanto que para o carnaval lotam milhões de pessoas pulando, gritando, todos felizes por três dias num país falido econômico e eticamente. Quem vem dos países desenvolvidos não conseguem compreender tanta passividade, nem eu. Sinceramente meu desejo é ir embora do Brasil, infelizmente as coisas por aqui só piorama cada legislatura Acordem cidadãos brasileiros.... ou continuem sambando e fazendo graça para gringos ver e rir"

concurseiro disse: Em 12/02/2018 às 08:14:43

"Primeiro que a previdência não é deficitária e sim mal gerida. Recente trabalho realizado pelos Sindicato dos Auditores da Receita Federal do Brasil demonstrou que não há décit, pelo contrário é superavitária. Outro ponto importante é cobrar os grandes devedores e sonegadores da previdência que são os grandes empresários, quase sempre parlamentares. Terceiro: não há regalias do servidor público, este contribui em folhas em dias e mesmo assim o governo está apropriando indevidamente para financiar outros gastos como é o caso do IPER e pasmem: com o aval do tce e ale. Por falar de privilégios é bom citar a aposentadoria de parlamentares essa sim é deficitária pois basta contribuir por 8 anos ao contrário do eleitor cidadãos que o faz por 35 anos e ninguém fala dessa injustiça. o que a senhora acha disso? e da pensão vitalícia de ex governadores temos exemplo disso em Roraima. estamos de olho nos parlamentares , o brasil mudou e muitos não vão voltar à casa podem apostar. Tiririca dizia que não sabia o que faz um parlamentar do legislativo e envergonhado se despediu da política sem responder a pergunta, aliás não há muito o que dizer além do que vemos todo dia. O brasil jamais será um país desenvolvido enquanto não mudar a política para uma questão de estado e não partidária, o estado interferir menos na vida privada, mudar o sistema tributário onde o cidadão pobre fina o estado a corrupção e só leva pau na saúde, segurança, infraestrutura, trabalho, moradia, liberdade. Fico pensando como um país que ter progresso se numa manifestação pacífica para cobrar todos esses direitos que citei anteriormente, vão 100, 200, talvez 1000 pessoas, enquanto que para o carnaval lotam milhões de pessoas pulando, gritando, todos felizes por três dias num país falido econômico e eticamente. Quem vem dos países desenvolvidos não conseguem compreender tanta passividade, nem eu. Sinceramente meu desejo é ir embora do brasil, infelizmente as coisas só pioram no brasil a cada legislatura Acordem cidadãos brasileiros.... ou continuem sambando e fazendo graça para gringos ver "

Christhian Rodolfo Torres Dominguez disse: Em 12/02/2018 às 07:27:34

"Gostei do DECOTE......"

Saúde Caburai disse: Em 13/02/2018 às 12:43:08

"aaah kkkkk azueira não tem fim. Aos novos eleitores pode até não ganhar votos mais será homenageada kkk"

JC disse: Em 12/02/2018 às 06:36:22

"Quero informar a deputada quando o brigadeiro faleceu quem assumiu foi o Anchieta ele não mudou nada mesmo, piorou, assim melhorou foi para ele e a família. Então não votem no Anchieta ele faz parte da mesma administração de 30 anos, se ele for eleito ele vai afundar ainda mais o estado do que ele afundou na gestão dele passada."

misael carvalhedo disse: Em 12/02/2018 às 05:54:04

"Quando o Governador Otomar faleceu, ele deixou o um Estado organizado, com as contas em dia e dinheiro em caixa, assumiu então, o vice José de Anchieta e a primeira dama Shéridan, que após quase sete anos no poder, deixaram o governo quebrado, desorganizado e endividado!"

Bekem disse: Em 12/02/2018 às 04:18:01

"Nosso Estado vive à Beira da falência, não somente pelo o que estamos vivendo atualmente, Mas devido a forma de má administração desde 1989. Sendo a menor população do Brasil , Roraima deveria ser exemplo de educador, saúde e desenvolvimento, Mas o que vivenciamos é regresso total. Até os dias atuais Roraima vive em sua maioria do funcionalismo público, e atualmente nossos jovens da geração Z (nascidos a apartir de 2000) não têm pespequitivas de trabalho. E agora? Onde estão as indústrias prometidas na década de 90? Estamos a espera de um. Milagre.... "

Rio Branco disse: Em 12/02/2018 às 03:14:52

"Vai para a esfera estadual porque sabe que não vai alcançar mais a federal, apoiar Anchieta é dar continuidade aos grupos oligárquicos que vem se revezando como ela mesmo disse, seu tempo passou, até logo e não volte nunca mais."