NO PÉROLA
Adolescente é assassinado a tiros por dois rivais
Por João Barros
Em 08/11/2018 às 00:04
Pedro da Silva, o “Mente Cabulosa” morreu antes da chegada do Samu (Foto: Divulgação)

Como reflexo de uma série da violência empregada pelas organizações criminosas, o número de jovens e adolescentes que estão sendo mortos em 2018 supera qualquer estatística feita nos anos anteriores. O menor Pedro Silva, de 17 anos, vulgo “Mente Cabulosa”, foi mais uma vítima da sequência de crimes que ocorreram nas vias públicas de Boa Vista. Na noite da terça-feira, dia 6, foi alvejado na Rua José Hamilton Gondin, Conjunto Pérola, bairro Doutor Airton Rocha, zona Oeste.

Segundo a guarnição do Bope (Batalhão de Operações Especiais), da Polícia Militar, quando chegou ao local do fato, contatou que o adolescente estava com perfurações causadas por arma de fogo e acionaram o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). O médico que integrava a equipe de socorrista analisou a condição da vítima e constatou o óbito. Segundo o atestado, os tiros acertaram o tórax e a pelve do adolescente.

O local do crime foi isolado até a chegada da Perícia Criminal e do rabecão do Instituto de Medicina Legal (IML), além de agentes da Delegacia-Geral de Homicídios (DGH). Um casal, testemunha ocular do crime, contou que dois elementos estavam escondidos no mato, de tocaia e, assim que Pedro passou, correram e dispararam em sua direção.

A vítima já estava chegando à residência onde mora com a família quando sofreu o ataque dos rivais. Os dois elementos fugiram, tomando rumo ignorado. Os familiares contaram para o Bope que, nos últimos meses, o adolescente estava envolvido em ações criminosas. Os parentes foram orientados a fazer o registro do Boletim de Ocorrência (B.O) para que os procedimentos legais fossem adotados pela Polícia Civil.

Ao fim dos trabalhos da Perícia, o corpo foi removido para o Instituto de Medicina Legal (IML). Na manhã de ontem, dia 7, após o exame de necropsia, foi liberado para a família realizar o funeral e sepultamento. Nenhum suspeito do crime foi preso até o fim da tarde dessa quarta-feira.

APREENSÃO – O adolescente foi apreendido no mesmo dia de sua morte, por volta das 18h, na Avenida Belo Horizonte, bairro Nova Cidade, na garupa de uma moto. Segundo a polícia, ele era o responsável por fazer um levantamento dos endereços de profissionais da segurança pública do Estado, bem como as ameaças e uma série de outros crimes. Os policiais informaram que ele era membro de uma facção criminosa.

O menor foi algemado e conduzido à Central de Flagrantes do 5o DP para esclarecimentos de um roubo do qual ele era suspeito da autoria, fato que ocorreu às 14h ainda da terça-feira, bairro Cambará, com emprego de arma de fogo. Em depoimento, o adolescente negou que fazia parte de qualquer organização criminosa e que tinha roubado.

Por fim, confessou que era usuário de maconha e que prestava serviço comunitário pelos delitos do passado. Depois de ser ouvido, a autoridade policial liberou o menor e, possivelmente, no caminho de volta para casa foi morto. (J.B)

***
Gostou?
2
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!