SEM PREVISÃO DE PAGAMENTO
Após reunião com a Governadora, mulheres mantêm protesto
Decisão foi tomada após reunião com a governadora, nesta quarta-feira,28
Por Folha Web
Em 28/11/2018 às 16:41
Governadora Suely Campos, durante reunião no Palácio Senador Hélio Campos. (Foto: Amanda Teixeira/Arquivo Pessoal)

As esposas de militares se reuniram com a Governadora Suely Campos, nesta quarta-feira, 28, no Palácio Senador Hélio Campos para tratar sobre os atrasos salariais.

Segundo Amanda Teixeira, esposa de um dos militares, a governadora informou que existem dois caminhos para regularizar os salários dos servidores: utilizar os recursos do Instituto de Previdência do Estado (Iper) ou a devolução dos R$ 180 milhões que o governo de Roraima alega ter gastado com os venezuelanos na oferta de serviços públicos.

“Ela ouviu nossas reivindicações e explicou que se não houver um acordo com relação a utilização dos recursos do IPER ou a devolução do dinheiro gasto com os Venezuelanos aqui em Roraima, não teria condições de pagar os salários atrasados dos servidores”, afirmou Amanda.

Ainda segundo a Amanda, a Governadora afirmou que está previsto uma audiência com o Governo Federal para próxima semana para rever o dinheiro gasto com os venezuelanos.

“Enquanto isso, as contas e juros se acumulam e as famílias dos militares e servidores civis passam por dificuldades. Nossos esposos que trabalharam, que passaram em um concurso, não estão recebendo”, ressaltou a manifestante.

As manifestação informaram a reportagem da Folha Web que irão continuar em frente ao 2º Batalhão da Polícia Militar (2º BPM), situado na avenida Nazaré Filgueiras, bairro Pintolândia, e também em frente ao palácio Senador Hélio Campos, no centro Cívico, até que os salários sejam normalizados.

Outro lado -  A Sefaz (Secretaria de Fazenda) ressalta que o pagamento relativo ao mês de outubro dos salários de todos os servidores, inclusive os da administração indireta, depende de desbloqueios das contas do governo. A maior dificuldade em honrar esse compromisso é gerada por bloqueios judiciais e a PGE (Procuradoria Geral do Estado) tem feito reiteradas ações para solucionar o problema.

Enfatiza que o governo aguarda o desbloqueio, para realizar o pagamento dos salários do funcionalismo.

Colaborou a repórter Yara Walker

Leia mais: https://www.folhabv.com.br/noticia/Mulheres-de-militares-se-manifestam-por-atraso-de-pagamento/46788

***
Gostou?
3
5
Augusto Borneo disse: Em 05/12/2018 às 07:52:45

"e as contas! aumentando! juros crescendo! dificil! venezuelanos tem as costas largas!!!"