PUBLICIDADE
SAÚDE
Atividade física reduz doses de medicamentos utilizados pelo diabético
Segundo o médico, exercício reduz a gordura nos órgãos e melhora o aproveitamento da glicose pelos músculos
Por Raisa Carvalho
Em 18/06/2019 às 00:04
Médico ressalta que é necessário rever o esquema insulínico sempre antes de começar qualquer exercício (Foto: Divulgação)

O exercício físico faz bem para quem quer prevenir diversas doenças como obesidade, hipertensão arterial, infarto do miocárdio, osteoporose. Frequentar uma academia ou ter uma atividade física frequente ajuda até mesmo para quem tem diabetes, já que é possível melhorar o aproveitamento da glicose pelos músculos.

“A atividade física reduz muitas vezes as doses dos medicamentos utilizados pelo diabético e ajuda a prevenir problemas como alterações na retina, vasos sanguíneos, nervos, rins e coração” explica o médico César Penna, especialista em metabologia. 

Ainda assim, é preciso tomar cuidados e consultar o médico antes de começar a atividade. “O exercício físico melhora a sensibilidade à insulina, mas  se não tiver cuidados básicos, a hipoglicemia pode mesmo ocorrer até o dia seguinte após a prática” disse.

PUBLICIDADE

Se considerarmos o exercício físico como um "medicamento" a ser utilizado pelo diabético, ele terá uma "dose ideal" para cada pessoa. Genericamente recomenda-se que sejam realizados exercícios de 30 a 60 minutos por dia, cinco a seis vezes por semana, de intensidade leve a moderada.

O médico ressalta que é necessário rever o esquema insulínico sempre antes de começar qualquer exercício. 

“Dependendo do horário da atividade física, o ajuste da dose de medicamento/insulina da refeição anterior já é suficiente, apenas ajustando a relação insulina: carboidrato daquela refeição. Para os usuários de bombas de infusão de insulina pode ser necessário utilizar o basal temporário e em algumas situações retirar a bomba. A alimentação antes, durante e após a atividade física também é determinante para evitar a hipoglicemia” explica.

Na hora da atividade física, o especialista diz que o carboidrato tem um papel fundamental para quem busca uma vida mais saudável. É ele que mantém a energia e glicemias do paciente estáveis. 

“Mas não é por isso que pode abusar, pensando apenas em reduzir os episódios de hipoglicemia. A estabilidade das glicemias durante seu treino, fará com que a sua performance seja preservada. Claro que as quantidades de cada alimento devem ser estipuladas de maneira individual, por isso  consultar um endocrinologista   é de extrema importância” diz.

Antes de pensar sobre ingerir suplementos, é indicado que o paciente faça um check list nutricional para avaliar sua alimentação atual. “Alguns ajustes na alimentação já são o suficiente para que sua performance seja preservada” diz.

O tema preferido nas academias são os suplementos, especialmente os ‘whey proteins’. “No nosso dia todo, a necessidade de proteína varia de 12-15%,  equivale a dois bifes e 02 copos de leite. Então não adianta comer 08 claras de ovo, vários scoops de whey protein para ganhar massa muscular. O que faz ganhar massa muscular é justamente a combinação dos carboidratos e proteínas nas quantidades e horário correto. Tratando-se de Diabetes especialmente, o consumo exagerado de proteína pode sobrecarregar os rins No caso de atletas profissionais ou que participam de competições, os suplementos podem ser utilizados com cautela, sempre orientados pelo profissional pelo medico” exemplifica.

***
Gostou?
3
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!