PUBLICIDADE
VIOLÊNCIA
Audiência pública debate segurança nas escolas estaduais
A ação contou com a participação de parlamentares, representantes de órgãos de segurança do Governo do Estado e alunos da escola estadual Lobo D’Almada
Por Paola Carvalho
Em 12/04/2019 às 14:09
Objetivo era discutir formas de aumentar segurança nas unidades (Foto: Priscilla Torres / FolhaBV)

A questão da violência e a necessidade de viabilizar novas formas de segurança nas escolas estaduais foi tema de audiência pública nesta sexta-feira, 12, na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR).

A ação contou com a participação de parlamentares, representantes de órgãos de segurança do Governo do Estado, psicólogos, professores e alunos da escola estadual Lobo D’Almada. A convocação ocorreu devido ao anúncio de um suposto atentado que ocorreria na unidade de ensino no fim do mês de março e que ganhou repercussão em Roraima, causando medo em pais e nos estudantes.

A iniciativa da audiência pública é uma proposta do deputado estadual Evangelista Siqueira (PT), presidente da Comissão de Educação na ALE-RR e visava discutir com as principais representantes da comunidade escolar as necessidades e demandas para viabilizar a segurança nas unidades de ensino.

PUBLICIDADE

“Depois do anúncio do atentado, que felizmente não se confirmou, nos trouxe preocupação de como está a segurança nas nossas escolas. Por essa razão, com o objetivo de construir um momento de debate e de construção coletiva que a Comissão de Educação da ALE julgou de importância a promoção do debate”, ressaltou.

A audiência também faz parte do projeto de lei nº 018/19, de autoria do deputado, que visa implantar um protocolo de segurança nas escolas públicas e privadas do Estado.

O parlamentar afirma que com a realização da audiência, o próximo passo é confrontar as informações que foram geradas com as determinações do projeto de lei. “Queremos verificar se há a necessidade de inserir novas emendas na proposta e ver como o projeto pode se tornar melhor e exequível no Estado”, informou.

Na ocasião, a aluna Gabrielly Salvador, de 16 anos, também esteve presente na audiência e explicou que os estudantes precisam se sentir seguros dentro de sala de aula. “Nós precisamos ter a certeza de que estamos em boas mãos e de que não irá acontecer o que ocorreu em outros Estados. É muito importante observar o que foi debatido e como ficará a nossa situação”, afirmou.

A aluna Gabrielly Salvador, de 16 anos, explicou que os estudantes precisam se sentir seguros dentro de sala de aula. “Nós precisamos ter a certeza de que estamos em boas mãos e de que não irá acontecer o que ocorreu em outros Estados. É muito importante observar o que foi debatido e como ficará a nossa situação”, afirmou. (P.C.)

***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!