PUBLICIDADE
PADRE SOBRE O HGR
“O Estado está sendo omisso e criminoso”
Vítima de um infarto, ele acumula três lesões graves nas três principais artérias e tem usado materiais repetidos no tratamento
Por Ana Gabriela Gomes Moreira
Em 19/06/2019 às 00:26
Padre Anselmo Silva está reutilizando o mesmo escalpe há quatro dias pela falta do item no HGR (Foto: Diane Sampaio/FolhaBV)

Não é novidade para ninguém a situação da saúde do Estado de Roraima, principalmente em relação ao Hospital Geral (HGR), na capital. Nos últimos meses, no entanto, as denúncias têm sido cada vez mais graves. É o caso do padre da Igreja Brasileira, de denominação protestante, Anselmo Silva. Vítima de um infarto, ele acumula três lesões graves nas três principais artérias e três obstruções na ventricular esquerda de 40%, 60% e 90%.

Na última sexta-feira, 14, ele deu entrada no HGR para atendimento cardíaco e recebeu medicamento intravenoso pelo escalpe. Nesta terça-feira, 18, quatro dias depois, ele voltou à unidade para receber medicamento pelo mesmo escalpe. "É isso. Estou reutilizando o mesmo escalpe porque não tem no hospital. Eu estou vivo graças a Deus, mas as pessoas estão morrendo aqui", afirmou.

PUBLICIDADE

Desde então, o padre frequenta quase que diariamente o hospital para receber, na maioria das vezes, medicamentos que ele mesmo compra. E foi pela constante presença na unidade que Anselmo abriu os olhos para outras situações. Pela falta de material e itens básicos, por exemplo, ele percebeu que cabe aos médicos decidir quais pacientes ficam ou deixam o setor de trauma e a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Na área de oncologia, ele relatou que há pacientes gritando dia e noite com as dores e a falta de morfina. No setor de ortopedia, outros pacientes esperam por cirurgias simples, mas que não são feitas pela falta de parafuso e outros materiais. “Pessoas idosas estão sendo deixadas de lado para que a vaga seja preenchida por pacientes mais novos, tendo em vista a chance de recuperação”, declarou.

Mesmo com a gravidade da situação, o padre destacou que não há como culpar enfermeiros, médicos e demais profissionais. “A culpa é do Estado, que está sendo omisso e criminoso junto aos que precisam dessa unidade de saúde. Quando chove, chove dentro do hospital, não é mais novidade. Mas até quando isso vai ficar assim? As autoridades estão dormindo para o que acontece aqui e quem morre é o povo”, finalizou.

GOVERNO – Por meio de nota de esclarecimento, a Sesau (Secretaria de Saúde) informou que o HGR (Hospital Geral de Roraima) tem em estoque as numerações mais demandadas de escalpe e o atendimento segue normalmente. O tempo de troca do item varia de acordo com a medicação e o paciente pode ficar até quatro dias com o mesmo escalpe, sem prejuízo algum.

“Em relação aos medicamentos, dos citados, o estoque do clopidogrel, monocordil e ranitidina está normal. Já o isordil e o AAS foram contemplados no processo de aquisição da CGAF (Coordenadoria Geral de Assistência Farmacêutica)”.

A Sesau ressaltou ainda que todos os medicamentos citados pelo Padre podem ser retirados nos Postos de Saúde por se tratarem de medicações da Atenção Básica.

“Ressalta ainda que qualquer cidadão tem o direito de reclamar caso seja mal atendido e que, para isso, o Estado dispõe da Ouvidoria do SUS, que é o órgão responsável por apurar as demandas relacionadas à saúde e dar um retorno à população, processo que é monitorado pelo Ministério da Saúde e pode ser acessada por telefone (95) 2121-0590 ou 136/Nacional, por e-mail (ouvidoriasus.rr@gmail.com), pessoalmente ou por carta endereçada à Ouvidoria da Sesau, localizada na Rua Madri, 180, Aeroporto, Boa Vista-RR, CEP 69.310.043” concluiu a nota.

***
Gostou?
0
2
THIAGO CASTRO disse: Em 19/06/2019 às 12:50:59

"E SEMPRE ASSIM : A SITUAÇÃO CALAMITOSA DO HGR ESTA AI PRA TODO MUNDO VER E A SESAU MANDA NOTA QUE ESTÁ TUDO AS MIL MARAVILHAS , REMÉDIOS EM ESTOQUE E PACIENTES NA MAIOR ALEGRIA INTERNADOS NO MATADOURO !"

Suzete Cristina disse: Em 19/06/2019 às 07:22:37

"Perguntem ao governador se ele iria querer ser atendido no HGR se estivesse com saúde complicada? Com certeza ele iria para clínica particular confiável, ou para outro Estado para se tratar. O HGR tem alguns criminosos que não foram punidos, apesar de também haver outros proafissionais que podem ser considerados heróis por tanta dedicação. A polícia precisa investigar esse hospital com uma operação séria! Mais de 30 anos com c gente morrendo por negligência médica e nenhum governo resolveu o problema."

THIAGO CASTRO disse: Em 19/06/2019 às 12:53:38

"ELE NÃO PASSA NEM PERTO DO MATADOURO"