Casal cria projeto que leva educação e arte para população do interior - Folha de Boa Vista
NO AMAJARI
Casal cria projeto que leva educação e arte para população do interior
O projeto "Hélvio Tupinambá de Souza Cruz" pretende ofertar cursos de música, inglês, redação, marcenaria, confeitaria e outras modalidades
Por Folha Web
Em 23/07/2021 às 16:05
As aulas de guitarra contam com alunos de todas as idades (foto: Arquivo pessoal)

Com o objetivo de proporcionar educação, arte e cultura de forma gratuita para a população do município Amajari, ao norte de Roraima, surgiu o projeto "Hélvio Tupinambá de Souza Cruz" em abril deste ano.

O projeto foi desenvolvido pelo casal, Diego Cruz, de 37 anos, e Anna Bárbara Cruz, 31, visando ofertar cursos de música, inglês, redação, marcenaria, confeitaria e outras modalidades. No momento, as aulas de guitarra e língua inglesa são as que estão em plena atividade.

"Quando estávamos pensando em como chamar o projeto, o nome do meu pai, Hélvio Tupinambá, veio à tona. Ele era um professor que se dedicava aos menos favorecidos e sempre defendia que a educação é um agente transformador", disse.

No momento, as aulas de guitarra e língua inglesa são as que estão em plena atividade (Foto: Divulgação)

Diego explicou que a iniciativa de ensinar como tocar guitarra aos moradores surgiu quando percebeu que não havia manifestação cultural no município ou algum incentivo para isso. Além disso, notou como haviam crianças que não aproveitavam o tempo de forma produtiva.

"Nós vimos como era muito alto o número de crianças e adolescentes sem perspectivas, fazendo nada nas ruas. Portanto, sabendo do papel transformador da música na vida das pessoas, eu e minha esposa resolvemos iniciar esse projeto de caridade por conta própria. Compramos os instrumentos, as caixas, os cabos, cadeiras, mesas, quadro, enfim, tudo o que fosse necessário. Também recebemos algumas doações de equipamentos de artistas e lojas locais", mencionou.

Ele ressaltou que o curso de guitarra conta com 10 alunos, entre adultos, crianças e adolescentes, assim como imigrantes também. Porém, não atendem mais pessoas por falta de instrumentos.

"A ideia do projeto é que outras pessoas nos ajudem atuando como voluntários em cursos esporádicos.  Outro aspecto importante é que muitos dos alunos viviam uma vida obsoleta, eram crianças que viviam na rua ou não tem um ambiente saudável em casa. Alguns deles tem depressão e apresentaram casos de mutilação. Com o andamento do curso, podemos observar que tais comportamentos diminuíram, pois a música acalma e serve como válvula de escape para as tensões da vida", enfatizou.

MÚSICA COMO TERAPIA

O professor compartilhou a situação de um dos alunos do projeto, que sofre de crises de ansiedade até o ponto de lhe faltar o ar. Segundo ele, com as aulas de guitarra, a criança tem melhorado cada vez mais.

"A música o tem ajudado a se concentrar, pois há a necessidade de estudar e ter atenção nas explicações, assim como a se divertir, cantar e interpretar textos das letras. Isso tudo ajuda a desocupar uma mente preocupada", observou.

Além disso, ele lembrou de uma aluna, de 12 anos, que construiu um braço de guitarra com um pedaço de madeira de lixo para poder estudar em casa. "

Este momento foi de grande emoção pois o exemplo dela serviu para todos, até para mim mesmo. Mostra que a dedicação pode virar o jogo, mesmo que você não tenha qualquer condição financeira. Eu presenteei está aluna com uma guitarra nova e ela hoje é a mais dedicada. Já consegue me acompanhar nas músicas com apenas dois meses de aula", mencionou orgulhoso.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
9
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!