Confira mudanças do Novo Ensino Médio - Folha de Boa Vista
NOVO MÉTODO DE ENSINO
Confira mudanças do Novo Ensino Médio
Em Roraima, até 2023, as 166 escolas estaduais com o Ensino Médio devem receber o novo método
Por Folha Web
Em 16/09/2021 às 13:00
Novo Ensino Médio foi criado por lei de 2017 (Foto: Nilzete Franco FolhaBV)

Em fase de implantação no Brasil, o Novo Ensino Médio promete melhorar os índices educacionais com mudanças, como a ampliação da carga horária anual mínima, de 800 horas para 1.000 horas.

Em Roraima, até 2023, as 166 escolas estaduais com o Ensino Médio devem receber o novo método. Onze escolas da capital, do interior e de comunidades indígenas vão receber o projeto piloto, já a partir deste ano. O Sindicato das Escolas Particulares em Roraima (Sinepe) deve se pronunciar à FolhaBV nessa sexta-feira (17) sobre a implantação do Novo Ensino Médio.

O que muda?

O Novo Ensino Médio foi criado por uma lei federal de 2017 que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, e vai ampliar o tempo do aluno na escola. A carga horária mínima será de 1.000 horas anuais, frente às 800 anteriores, o que deve tornar mais flexível a organização curricular, de forma que estudantes tenham diversas possibilidades na hora de suas escolhas.

As disciplinas ficarão integradas em quatro áreas do conhecimento, o que permitirá ao estudante escolher itinerários formativos conforme os seus interesses e planejar sua carreira. 

As quatro áreas são: Matemáticas e suas Tecnologias; Linguagens e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais Aplicadas; 1.200 horas serão flexíveis e reservadas para a Formação Técnica e Profissional.

O Novo Ensino Médio entrará em vigor no ano que vem para alunos do 1° ano e deve estar em todas as turmas do país até 2024. Com isso, a carga horária total ao longo dos três anos passará de 2.400 para 3.000 horas. Das 3.000 horas, 1.800 horas serão para disciplinas que já são obrigatórias da base Nacional Comum Curricular, e 1.200 horas para os itinerários formativos.

Para os professores, o novo modelo vai obrigá-los a planejar e realizar as aulas de maneira integrada. Para o itinerário de Formação Profissional e Técnica, será permitida a atuação de profissionais com notório saber, reconhecidos pelos respectivos sistemas de ensino para ministrar conteúdos relacionados a sua experiência profissional.

Confira cronograma de implantação

  •     2021: aprovação e homologação dos referenciais curriculares pelos respectivos Conselhos de Educação e formações continuadas destinadas aos profissionais da educação;
  •     2022: implementação dos referenciais curriculares no 1º ano do Ensino Médio;
  •     2023: implementação dos referenciais curriculares nos 1º e 2º anos;
  •     2024: implementação dos referenciais curriculares em todos os anos do Ensino Médio;
  •     2022 a 2024: monitoramento da implementação dos referenciais curriculares e da formação continuada aos profissionais da educação.

Sendo assim, em 2021: escolha e distribuição das obras, projeto integradores e projetos de vida;
No ano de 2022: escolha e distribuição, por área de conhecimento, das obras de formação continuada e dos recursos educacionais digitais;
No ano de 2023: escolha e distribuição das obras literárias;
No ano de 2024: escolha e distribuição dos materiais e recursos didáticos para os itinerários formativos.

*Com informações do Jornal Contábil

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
2
2
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!