Governador e senadores pedem fechamento da fronteira - Folha de Boa Vista
CORONAVÍRUS 
Governador e senadores pedem fechamento da fronteira
Por Folha Web
Em 12/03/2020 às 00:45
O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com Antonio Denarium e os senadores de Roraima (Foto: Divulgação)
#SEMTEMPO? Confira o resumo da matéria

O governador Antonio Denarium (Sem partido) se reuniu com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para definir estratégias de prevenção ao Coronavírus, que já registrou mais de 50 casos no Brasil. Os representantes roraimenses acham necessário um trabalho efetivo de contingenciamento, fiscalização e vigilância sanitária nas fronteiras com a Guiana e a Venezuela, inclusive com o fechamento imediato das fronteiras


O governador Antonio Denarium (Sem partido) se reuniu com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, para definir estratégias de prevenção ao Coronavírus, que já registrou mais de 50 casos no Brasil. 

Na reunião, além do governador, estavam os senadores Telmário Mota (Pros), Chico Rodrigues (DEM) e Mecias de Jesus (Republicanos), o deputado federal Jhonatan de Jesus (Republicanos), o secretário-chefe da Casa Civil, Disney Mesquita, e o secretário da Representação do Governo em Brasília, Carlos Andrade. 

A preocupação dos parlamentares é com a fragilidade fronteiriça do estado com a Venezuela e a República Cooperativa da Guiana. Os representantes roraimenses acham necessário um trabalho efetivo de contingenciamento, fiscalização e vigilância sanitária nas fronteiras com a Guiana e a Venezuela, inclusive com o fechamento imediato das fronteiras.

Denarium e os senadores solicitaram um plano de ação para evitar que o vírus se espalhe pelo país, pelas fronteiras de Roraima, a exemplo do que aconteceu na China e na Itália. Em todo o mundo, são mais de 118 mil casos. No Brasil foram confirmados 52.

“Nós solicitamos o fechamento da fronteira por conta da crise do Coronavírus, que foi considerada uma pandemia e já tem o primeiro caso de morte na Guiana. Registramos em média 50 ônibus vindos por mês de Manaus, com sacoleiros indo para a Guiana fazer compras e lá os comerciantes são chineses, o que pode causar fragilidade no Brasil”. 

O governador explicou que pediu o fechamento da fronteira com a Venezuela também por ela estar desguarnecida. Com a crise migratória, os serviços públicos em Roraima, principalmente na saúde, têm sido afetados. E diante desse quadro, a ameaça de uma epidemia do Coronavírus, preocupa.

“A Venezuela não está divulgando os casos de Coronavírus e não tem controle nenhum. Se alguém morrer lá, com a doença, ninguém vai saber. Solicitamos controle mais rigoroso e até o fechamento da fronteira. O ministro nos ouviu e explicou que vai levar ao presidente o pedido e discutir essa possibilidade.”

Para o senador Mecias de Jesus, a posição vulnerável de Roraima, coloca em risco a saúde de todos os brasileiros. “Precisamos controlar a entrada no estado, fazendo a triagem de todos que entram em Roraima pela fronteira, essa é uma medida emergencial e necessária para evitar uma maior propagação do Coronavírus no país”, disse o parlamentar.

Mecias completou ainda dizendo que diante da falência do Sistema Público de Saúde da Venezuela, as vacinas desses refugiados também precisam ser aplicadas no Brasil, a fim de evitar a entrada de outras doenças já erradicadas no Brasil.

 O senador Telmário Mota falou sobre a visita aos técnicos do Ministério da Saúde, para solicitar um plano de trabalho, a fim de enfrentar o Coronavírus. “Também solicitamos mais autonomia para os Dseis atenderem as demandas de saúde dos indígenas. O nosso estado já vive uma crise migratória sem precedentes e como consequência sofre com a fragilidade na prestação de serviços públicos. Não podemos arriscar a possibilidade de sermos castigados com mais essa epidemia.” Concluiu Telmário.

Ao final da reunião, o Ministro Mandetta concordou com o pedido, mas alertou que não cabe a ele tal prerrogativa e que levaria o caso com urgência ao presidente da república Jair Bolsonaro (Sem partido). “O meu papel é atuar na prevenção e nas consequências”, disse o ministro. 

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
32
3
Cadastrar-me Enviar Comentário
Rildo Lopes disse: Em 12/03/2020 às 11:46:10

"os Dseis Senadores! Sabemos qual o real interesse dos nobres senadores. Roraima não há controle em nada, quem garante se não já temos algum caso em Roraima? "

Roraima disse: Em 12/03/2020 às 07:41:31

"No caso do sarampo negligenciaram,oe o virus se alastrou a outras regiões do país, o mesmo vai ocorrer com o corona."

Manuel disse: Em 12/03/2020 às 07:27:13

"Parabéns... Não é uma questão de sermos desumanos. Antes de tudo Racional. Para ajudarmos outros pessoas devemos estar fortes para amparar. Se nos desgastamos nenhum nem outro. A situação é que possamos nos equilibrar primeiro para que possamos tentar ajudar nossos semelhantes. É assim quando o avião está em pane primeiro coloque sua mascara de Oxigênio para depois socorrer outros. Primeiro suba num barco para depois socorrer outros. Caso contrário ambos desabam. A ambição dos erários externos de ongs é tentador e muitos sucumbem a eles trabalhando em prol do desequilíbrio e contra a nação. Amparar sim mas racional. Contribuições de mantimentos e roupas sim mas que sejam destinados ao Pais. A verdade é que Mal temos condições de socorrer nossos desamparados aqui e nos metemos a ajudar outros que querem continuar errando."