Idosa reclama de ‘mau atendimento’ na UBS do Jardim Floresta - Folha de Boa Vista
RECLAMAÇÃO
Idosa reclama de ‘mau atendimento’ na UBS do Jardim Floresta
Maria Perpétua disse que era a 17ª da espera, mas o atendimento terminou logo no 16º paciente
Por Folha Web
Em 03/12/2021 às 06:00
Unidade Básica de Saúde do bairro Jardim Floresta (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

A paciente Maria Perpétua Roth Pereira, de 63 anos, reclamou que teria sido mal atendida por servidoras na manhã dessa quinta-feira (2) na Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Jardim Floresta.

Ela disse ter chegado ao posto por volta das 5h, de bicicleta, sob chuva, na tentativa de garantir os primeiros lugares da fila, onde 21 pessoas foram listadas para serem atendidas pela manhã.

Maria Perpétua disse que era a 17ª da espera, mas o atendimento terminou logo no 16º paciente. A idosa acusou a diretora e servidoras auxiliares do período matutino de atenderem até quem chegou depois dela. “Como muitos que estavam lá no seu bom carrão, todos eles foram atendidos, até quem chegou depois de mim, e eu fiquei prestando a atenção”, testemunhou.

A idosa disse que tem um problema de saúde e que tem como pagar os seguintes exames: Hemograma completo; EAS; Calcio sérico; PCR; TSH, T3 e T4 Livre; Colesterol total e frações; triglicerídios; e fator reumatóide. A paciente justificou que tem uma renda mensal de R$ 340, sendo R$ 240 de faxinas e os R$ 100 que recebe do programa Auxílio Brasil (antigo Bolsa Família), além de depender diretamente da ajuda de quatro dos cinco filhos.

Procurada, a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) não comentou o assunto até a publicação desta reportagem.

Paciente aguarda por cirurgia no rim há quatro anos

A idosa Maria Perpétua relatou como sobrevive (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

Diagnosticada em 2017 com uma pedra do rim esquerdo (medida em um centímetro), Maria Perpétua disse que aguarda, desde lá, por uma cirurgia na rede hospitalar estadual para retirar essa massa sólida. Ela sofre com o problema há 20 anos e desconfiava que o problema era na coluna.

“Sofro desde 2001, quando fiquei 12 dias sem andar. Pensei até que não iria voltar a andar, diziam que o problema era de coluna, mas já era pedra no rim. Ela tem 10 milímetros dentro de mim. Quando faço esforço físico, varro, carrego algum peso, ela inflama e dói, e fico noites e noites sem dormir. Não posso ficar deitada ou sentada”, explicou.

A idosa disse a cirurgia estava marcada para 2020, mas não foi realizada por causa da pandemia, e que sempre quando procura pelo procedimento, é avisada que não tem material.

Sobre o assunto, a reportagem procurou a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), que se manifestou por meio da seguinte nota:

A Secretaria de Saúde informa que o quadro clínico da paciente Maria Perpétua Roth Pereira está sendo acompanhado e que ela será atendida assim como os demais pacientes que estão incluídos na fila única de cirurgias.

A Sesau recomenda à paciente que acesse o App Zera Fila RR, disponível na Play Store, e realize o recadastramento confirmando durante o preenchimento do formulário que aguarda pelo procedimento cirúrgico. O recadastramento pode ser feito até a próxima segunda-feira, dia 6.

E reforça que se a paciente sentir dificuldades para acessar o App, pode contar com o auxílio presencial de servidores que estão disponibilizando o suporte presencial no Hospital Coronel Mota e Hospital das Clínicas, de manhã e de tarde, e no Centro de Referência da Saúde da Mulher, das 18h30 às 21h.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
0
9
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!