PUBLICIDADE
ECONOMIA
Mesmo na crise, gastos com estética continuam sendo prioridade 
Há quem gaste cinco mil reais em um único tratamento de emagrecimento em clínica de estética 
Por Edílson Rodrigues
Em 26/08/2019 às 01:08
Val Marques investe cerca de R$ 800 com estética, salão de beleza e academia de musculação (Foto: Divulgação)

Enquanto muitos falam que estão em crise, essa palavra passa longe de clínicas de estéticas e salões de beleza, um segmento bastante promissor e que está em constante crescimento. E mesmo nesses tempos de aperto, os gastos com itens de beleza ainda são vistos como prioridade. Se antes as pessoas davam mais importância somente à questão da vaidade, hoje esse quesito está sendo aliado à saúde, ao bem-estar, autoestima e qualidade de vida. Em Boa Vista há quem gaste um bom valor mensal para manter-se bem, assim como existem empresários que investem pesado para se destacar no mercado e atrair cada vez mais clientes.

O economista Fábio Martinez reconhece que o segmento da beleza é bastante promissor e que dificilmente entra em crise porque tem demanda garantida. “Mesmo quando o mercado está em crise, uma das últimas coisas que as pessoas cortam é a parte da estética”, ressaltou.

Segundo ele, as mulheres e os homens brasileiros são muito vaidosos e em razão disso os empresários dessa área conseguem um bom desempenho. “Claro que tem muita concorrência, mas aí é que entra a questão de fazer o diferencial para permanecer no mercado competitivo, como oferecer qualidade no serviço e no atendimento. Assim fideliza o cliente, que dificilmente mudará para outra empresa”. 

PUBLICIDADE

A empresária Delvani Macedo não abre mão dos cuidados com a saúde. Ela contou que já esteve com outros profissionais da área da estética e não obteve resultados que tanta esperava. “Eu casei, tenho uma filha e dei uma relaxada, quase ficando sem tempo para cuidar de mim. Adquiri uma gordurinha na região do abdômen que me incomodava muito. Eu morria de vergonha e tentava disfarçar com roupas mais folgadas”, ressaltou.

Delvani frequenta uma clínica de estética que fica no bairro Mecejana. Para perder os quilinhos extras que adquiriu, ela está investindo uma média de R$ 3 mil pelo tratamento Modelart Result, que acelera o emagrecimento, desintoxica o organismo e tem duração média de dois meses. Há três semanas queimando calorias, a empresária garantiu que já perdeu cinco quilos e pretende eliminar ainda dez quilos. “Estou muito feliz com esse resultado. É um investimento que não me arrependo em fazer porque vale a pena. E digo mais, tem a questão da vaidade sim, mas envolve outras situações até mais importantes como a saúde e o bem-estar, a autoestima e qualidade de vida”, afirmou. Ela comentou que, mesmo gastando em sua autoestima, também não deixa de investir em lazer e cultura com a família.

Estar de bem com o corpo e a mente são as razões que fazem com que a empresária Val Marques invista parte de seu orçamento mensal com academia, clínica de estética, salão de beleza, e ainda com lazer, cultura e com a faculdade. “Gosto de me sentir e estar bem, mas isso não é tudo na vida de um ser humano, mas para mim é essencial. Eu curto sair à noite com amigos, seja para uma festinha ou cinema, mas claro que gasto mais cuidando de mim”, reconhece. Vaidosa, ela frequenta academia de musculação, clínica de estética e salão de beleza, e ao mês desembolsa quase 800 reais. “Não acho que seja caro, até porque é um investimento que faço que me proporciona disposição no dia a dia, qualidade de vida, pois minha vida é bem corrida. Pra mim, se o dia tivesse mais que 24 horas seria o ideal”, comentou.

Empresária investe alto para atender clientela

O investimento é alto e a média de preços dos tratamentos está entre dois e seis mil reais (Foto: Nilzete Franco / Folha BV)

Se cada vez mais as pessoas buscam clínicas de estéticas e salões de beleza, os empresários não pensam duas vezes quando o assunto é investimento. A empresária Thaine Malinowski investiu R$ 150 mil na aquisição de um equipamento de alta tecnologia que promete reduzir uma média de 20 centímetros da região abdominal. Quem se submeter a esse tratamento terá que desembolsar entre dois e seis mil reais. “Temos aproximadamente 80 pacientes fazendo esse tratamento”, afirmou. Ela comentou que para manter a empresa funcionando gasta algo em torno de R$ 30 mil por mês, com pagamento de salários de 17 funcionários, energia, água, manutenção de equipamentos e outros.

Há quatro anos no mercado, Thaine disse que mesmo em período de crise econômica ainda não sentiu os efeitos desse arrocho que afeta outras empresas do mercado. Talvez isso seja em razão do alto investimento que tem atraído uma clientela formada por mulheres e homens. “Temos 250 pacientes, entre esses 100 são fixos e 20 são homens que passaram a se cuidar também. Aliás, com essa quantidade de clientes, tivemos que fazer um madrugadão, quando viramos a noite e madrugada fazendo atendimentos”, ressaltou a empresária. Segundo ela, a demanda tem sido crescente e por conta disso está ampliando a clínica porque não há mais espaço para atender os pacientes. “Inclusive ampliamos o horário de funcionamento das 8h às 22h, sem fechar para o almoço”, disse. 

Atuando na área da beleza há 19 anos, o empresário Iverton Duarte atende em um salão onde é sócio proprietário, cerca de 400 pessoas por mês, com serviços como maquiagem, barba, cabelo, sobrancelha, coloração, mechas, manicure e pedicure, entre outros. Sem revelar o quanto foi investido no negócio, ele disse que quem frequenta o espaço gasta entre R$ 35 e R$ 500 em trabalho individual ou em pacote que inclui vários procedimentos. “Esse mercado da beleza está sempre em ascensão, mas o que mantém o empreendimento movimentado vai do dono, que deve sempre se qualificar com novas técnicas, produtos e novidade atraem e fidelizam clientes. O salão tem sempre movimento porque a função dele é cuidar da beleza, da autoestima das pessoas. Hoje, o bem estar e a saúde estão ligados diretamente a essa área”. 

***
Gostou?
2
1
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!