PUBLICIDADE
EM RORAIMA
Publicada portaria de zoneamento para arroz de sequeiro
Segundo especialista, o zoneamento é um incentivo para a plantação deste tipo de arroz que ainda não é tão difundido no estado
Por Folha Web
Em 12/08/2019 às 00:15
Os produtores em RR preferem o arroz irrigado por causa do beneficiamento, mas pequenos produtores plantam arroz cerqueiro (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

MARCOS MARTINS
Colaborador Folha

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento aprovou o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a cultura de arroz de sequeiro para Roraima. A portaria com a regulamentação foi publicada no Diário Oficial da União e serve para a safra do ano 2019/2020.

O zoneamento busca minimizar os riscos dos fenômenos climáticos adversos e permite a cada município identificar a melhor época de plantio da cultura nos diferentes tipos de solo e ciclos de cultivares. Ao observar as recomendações do zoneamento para Roraima, o produtor se beneficia do Proagro, Proagro Mais e da subvenção federal ao prêmio do seguro rural.

Segundo o engenheiro agrônomo Valter Dias Patrício, o Zarc vai definir os melhores locais para plantio de cada cultura. “Por exemplo, o Governo Federal definiu o Zarc aqui para Roraima com relação a algumas culturas como soja, milho e agora o arroz. Ele define o polígono onde pode plantar essas culturas e faz isso conforme a condição para cada cultura. Aqui em RR tem esse zoneamento para culturas anuais e o dendê no sul do estado”, afirma.

PUBLICIDADE

Ainda para o engenheiro agrônomo, o zoneamento é um incentivo para a plantação de qualquer tipo de cultura específica tanto para o produtor como para o banco. “É um incentivo para o banco financiar e hoje tem que ter o zoneamento. Isso serve para dar garantia e segurança para o banco. Se a pessoa está plantando dentro da área recomendada, o banco financia esse produtor sem problema algum. Agora, se a pessoa está plantando fora do polígono indicado, o banco já não financia”, explica ainda. 

Conforme a portaria, o arroz é o cereal de maior importância no mundo e seu plantio ocorre sob uma variada gama de condições climáticas tendo que ser sujeito a longos períodos de luz e temperaturas adequadas.

O engenheiro agrônomo ainda explica que em Roraima existem dois sistemas de cultivo atualmente: o de sequeiro e o arroz irrigado. O arroz irrigado precisa que o produtor inunde a área e o cultive dentro da água tempo todo. Já o arroz de sequeiro é plantado na época da chuva, só que não recebe irrigação. “O nome sequeiro sugere seca, mas na prática, muito pelo contrário, ele precisa de bastante chuva. A diferença é que ele [o arroz de sequeiro] não recebe água de irrigação. É importante dizer que o arroz de sequeiro quase não é plantado no estado. 95% é arroz irrigado, pois tem uma melhor qualidade para beneficiamento”, revela.

O beneficiamento do arroz tradicional observado pelo agrônomo é a chamada retirada da casca e do farelo do cereal com o intuito de obter o arroz branco, que é consumido pelo consumidor final. “Pela questão do beneficiamento, o sequeiro não é tão cultivado. Aqui no estado ele não tem um bom mercado, pois a qualidade para beneficiamento não é boa. Então pode ter alguns produtores que queiram plantar, mas dificilmente vai ter uma comercialização boa por causa do arroz irrigado. Se você chegar com um arroz de sequeiro para vender numa beneficiadora dessas que a gente tem aqui [no estado] dificilmente eles vão querer, porque não vai ser compatível com que eles precisam”, afirma Valter. 

Outro ponto comentado pelo agrônomo é que na época de cultivo do arroz de sequeiro o produtor tem opções melhores para plantar, como o milho e a soja. “O arroz de sequeiro acaba ficando para colonos, pequenas áreas onde as pessoas não têm irrigação e plantam contando com a chuva. Por isso que é pouco plantado”, informa.

O Zarc define os tipos de solo para cultivo da cultura e recomenda áreas que não são indicadas, como áreas de preservação obrigatória, além de solos com determinado tipo de profundidade e os pedregosos, além das áreas aptas para o cultivo da cultura nos municípios do estado.

Apesar de alguns pontos negativos, o arroz de sequeiro pode ser utilizado para abertura de novas áreas de cultivo. “Se uma pessoa tem um lavrado e vai fazer o primeiro cultivo, o arroz é um das culturas mais indicadas para preparar o solo de maneira adequada para receber outros cultivos. Sem dúvida é uma opção bastante interessante para quem deseja preparar solo”, destaca o agrônomo.

ZARC

O Zoneamento Agrícola de Risco Climático é um dos instrumentos utilizados na política agrícola e gestão de riscos para a agricultura. As portarias de Zoneamento Agrícola de Risco Climático são divulgadas de maneira anual através do Diário Oficial da União, sempre referente à vigência da safra indicada. 

Segundo informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o estudo é feito com objetivo de diminuir os riscos que estão relacionados a fenômenos climáticos adversos. Também permite a cada município identificar qual a melhor época de plantio das diversas culturas para diferentes tipos de solo e ciclos de cultivares. 

Na realização dos estudos do Zarc são analisados parâmetros para o clima e solo, além de ciclos de cultivares, através de uma metodologia habilitada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e adotada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!