PUBLICIDADE
SURTO EPIDÊMICO
Sarampo põe Roraima em situação de atenção 
Por Polyana Girardi
Em 19/08/2019 às 00:09
Doses da vacina contra o sarampo já foram distribuídas aos municípios para continuar a imunização da população (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

Diferentemente da declaração de surto epidêmico de sarampo em Roraima, do ano passado, anunciado pela Secretaria de Saúde Estadual, que chegou a registrar cerca de 580 notificações e 361 casos confirmados, o estado, em 2019, vive apenas situação de atenção para a doença, com 36 notificações e um caso confirmado em Pacaraima. 

A gerente do Programa Nacional de Imunização em Roraima (PNI), Alice Dantas, disse que o monitoramento da doença é feito por meio das notificações registradas no sistema de controle e treinamento de agentes e profissionais da saúde. “Os servidores avaliam prontuários e investigam os sintomas apresentados pelos pacientes. Nós não vivemos mais um período de surto, mas sim situação de atenção, que significa dizer que não existem surtos ativos em Roraima”, disse.

Conforme informações de Alice Dantas, foram distribuídas, até o dia 15 de agosto, 104.653 doses da vacina tríplice viral – para o combate de doenças como caxumba, rubéola e sarampo – e 21.101 doses da tetra viral – contra a catapora, caxumba, rubéola e o sarampo – entre os 15 municípios de Roraima.

PUBLICIDADE

“A tetra viral é destinada apenas para crianças de até cinco anos de idade e a tríplice para pessoas de um a 49 anos. Recomendamos a vacinação principalmente para crianças de seis a 11 meses, que vão viajar para as regiões que estão em surto das doenças, pelo menos 15 dias antes do destino”.

Alice Dantas também disse que o cenário epidêmico que vive o Brasil é reflexo de um novo perfil brasileiro, que não se preocupa em atualizar o cartão de vacina. “As pessoas estão deixando de ir aos postos em busca da vacinação. Como as coberturas vacinais vêm diminuindo, ocorre mais manifestação da doença. É necessária conscientização para que as pessoas procurem saber sobre a doença e se previnam”, ressaltou.

A gerente de doenças exantemáticas em Roraima, Vanessa Barros, explicou que o sarampo é uma doença viral que atinge principalmente menores de quatro anos e que em 2018 quem apresentou maiores números da doença foram crianças de um a quatro anos de idade.

“Os municípios que mais apresentaram os casos foram Rorainópolis e a capital, Boa Vista. Não é necessária a espera da campanha de setembro para a imunização das crianças. Lembrando que pessoas de até 30 anos precisam tomar duas doses da vacina e as de 30 a 49 anos tomam apenas uma dose se não houver registros da vacinação”, explicou.

O que é o sarampo – De acordo com as informações do Ministério da Saúde, o sarampo é uma doença infecciosa grave, causada por um vírus. A transmissão ocorre quando a doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas. A única maneira de evitar o sarampo é pela vacina. 

A manifestação dos sintomas pode incluir Febre, acompanhada de tosse, irritação nos olhos e nariz escorrendo ou entupido, além de mal-estar intenso. Em torno de cinco dias, podem aparecer outros sinais, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas, que em seguida se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de cinco anos de idade. 

***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!