PUBLICIDADE
NO EUCLIDES DA CUNHA
Seed faz levantamento para reformar escolas após princípio de incêndio
Por Folha Web
Em 19/08/2019 às 00:20
Incidente ocorreu no dia 12 de agosto e o fogo teria ocorrido por conta de um curto circuito na parte elétrica do prédio (Foto: Diane Sampaio/FolhaBV)

MARCOS MARTINS
Editoria de Cidades

O princípio de incêndio que ocorreu na escola Euclides da Cunha, no dia 12 de agosto, levantou questões sobre a manutenção de prédios públicos ou privados, na capital. Por conta do caso, a Secretaria de Educação e Desporto (Seed) teria solicitado ao Corpo de Bombeiros um laudo de vistoria de todas as escolas da rede pública estadual. Os laudos apresentados pelos Bombeiros teriam apontado a necessidade de adequações na estrutura física das escolas e aquisição de alguns equipamentos.

“Estamos adotando as providências cabíveis. A Secretaria de Educação e Desporto (Seed) e de Infraestrutura (Seinf), estão realizando um levantamento de todas as necessidades para reformas e revitalizações de escolas da capital e Interior para inclusão dos recursos necessários no Plano Plurianual (PPA) 2020/2023”.

O governo informou que estariam sendo feitas fiscalizações das estruturas dos prédios públicos escolares e destacou que o Departamento de Logística (Delog) dará suporte às unidades de ensino fazendo pequenos reparos na estrutura física e também na parte elétrica e hidráulica.

PUBLICIDADE

A nota enviada pelo Governo Estadual destaca que está tramitando na Seed um processo administrativo para contratar empresa que irá prestar serviços de manutenção e reforma nos prédios escolares, sendo que em breve as escolas da rede estadual serão contempladas com o serviço. 

“Reconhecemos a necessidade de reforma dos prédios escolares uma vez que as unidades de ensino ficaram em estado de abandono ao longo dos últimos anos e que a atual gestão está empenhada para fazer o melhor pela Educação do Estado”, disse.

Para o engenheiro e assessor técnico do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Roraima (CREA-RR), João Bosco Queiroz Castro, o mais importante deve ser cuidar da manutenção dos prédios.

“No Rio de Janeiro existem mais de 4 mil imóveis que não têm nenhum documento que comprova que aqueles prédios estão em condições de funcionar. Então estão em situação de risco, a gente vê viaduto caindo porque não faz manutenção. Diz um professor nosso, o melhor verbo não é ter e sim manter”, disse.

Conforme João Bosco, para a realização da manutenção predial é preciso contratar um profissional da área. “O Crea Roraima, destaca que para elaborar uma anotação de responsabilidade técnica (ART) é necessário contratar um profissional e isso é pra todo tipo de imóvel. O Corpo de bombeiros estabelece acima de 35 normas que têm que ser seguidas: saída de emergência, parte de brigada de incêndio, acessibilidade do prédio, isso faz parte também. Prédios públicos, órgão tombado também tem que obedecer às mesmas normas”, explica Bosco.

O princípio de incêndio na escola, que é considerada patrimônio histórico do estado, ocorreu na segunda-feira, 12 de agosto. Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o fogo teria ocorrido por um curto circuito na parte elétrica do prédio. 

***
Gostou?
1
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!