PUBLICIDADE
SAÚDE PARADA
Sesau confirma 8 mil pessoas na espera por cirugias
Multirões atrasam por falta de medicamentos
Por Edílson Rodrigues
Em 14/08/2019 às 00:23
Em janeiro deste ano familiares de pacientes internados no HGR cobraram a retomada das cirurgias eletivas (Foto: Divulgação)

Mais de 8,6 mil pessoas estão aguardando por cirurgias em Roraima. A informação foi confirmada à imprensa na tarde de terça-feira (13), pela secretária estadual de Saúde, Cecília Lorenzon, que confirmou que esse quantitativo de pacientes está aguardando por cirurgias, entre eletivas e emergenciais, sendo que 468 desses procedimentos são ortopédicos e neurológicos.

Entre esses pacientes que estão na fila de espera está Elda Celestino da Silva, 54 anos, que há mais de três meses está internada no Hospital Geral de Roraima (HGR) esperando para fazer uma cirurgia de ponte de safena. Ela está sendo acompanhada por sua irmã, Sila Celestino, que veio de Pacaraima. As duas vão viajar nesta quarta-feira (14) para Arapongas, no Paraná, onde será possível fazer a cirurgia de Elda. “Os médicos disseram que não tem condições de fazer essa operação aqui. E estamos indo por conta própria, pois nem o Tratamento Fora de Domicílio a gente conseguiu”, ressaltou Sila.

A aposentada Nair Souza, 67 anos, moradora do bairro Santa Luzia, zona Oeste da Capital, também é outra paciente que está há mais de um ano esperando para fazer uma cirurgia para retirada de um nódulo que surgiu atrás de sua orelha direita. 

PUBLICIDADE

Depois de toda a luta como ter que levantar na madrugada para chegar na unidade hospitalar, marcar consultas e exames, terá que refazer todos os exames que perderam a validade pelo fato de ter passado muito tempo sem ter conseguido a cirurgia.

“Comecei essa batalha de novo. Estou aqui no HGR, mas vou lá para o Coronel Mota. Essa cirurgia que eu tenho que fazer custa R$ 5 mil no médico particular e se eu tivesse esse dinheiro eu faria, mas como não tenho, vou para a saúde pública que está muito caótica. Um absurdo a gente passar mais de um ano esperando por uma cirurgia que acredito que seja simples”, disse a aposentada, comentando que quando a velhice chega, junto vêm os problemas de saúde. 

Nos últimos seis meses, segundo a Sesau, foram feitos 2.112 procedimentos cirúrgicos no Hospital Geral de Roraima (HGR), dos quais 621 foram feitos apenas nos últimos dois meses.

Já na Maternidade Infantil Nossa Senhora de Nazareth (HMI), as cirurgias eletivas seguem o cronograma habitual da agenda de atendimentos e nos meses de junho e julho deste ano foram realizados 326 procedimentos cirúrgicos. 

Mutirões para eletivas ainda não começaram

Apesar de ter sido informado pelo governo que os mutirões de cirurgias seriam retomados nesta semana, a Secretaria Estadual de Saúde informou que por conta da falta de materiais, os mutirões ainda não começaram. Em março deste ano, a Secretaria de Saúde (Sesau) havia anunciado a elaboração desses mutirões em caráter emergencial no Hospital Geral de Roraima (HGR) e no Hospital Materno Infantil Nossa Senhora de Nazareth, que seriam realizados em período de plantão e fins de semana, o que não aconteceu.

Apesar disso, a Sesau disse que as cirurgias eletivas estão sendo realizadas normalmente e que os pacientes estão sendo chamados de acordo com a urgência do caso. “Os mutirões vão ser retomados tão logo haja abastecimento dos materiais que estão em falta. Os procedimentos necessários já estão sendo realizados para que os mutirões ocorram o mais rápido possível. As cirurgias eletivas continuam sendo feitas em uma média de 20 procedimentos cirúrgicos realizados todos os dias”.

***
Gostou?
3
0
Max Moreira disse: Em 14/08/2019 às 11:06:45

"Ridículo uma coisa dessa. Pagamos nossos imposto, e ainda temos que pagar por saúde, segurança e educação. Denarium está sendo uma vergonha. Arrependido de ter votado nele. E a população nada faz, acha isso normal, e só vai achar ruim quando tiver na situação dessas pessoas. "

SANTOS disse: Em 14/08/2019 às 08:32:38

"- Minha esposa está convivendo (sabe Deus como) com sérios problemas de varizes, correndo sério risco de tromboses, pois alguns pontos já começaram a apresentar ulceração. A cirurgia requerida pelo médico, em caráter de urgência, já está comemorando seu terceiro aniversário anual, sem que nada haja acontecido, apesar de nossas inúmeras tentativas, por todos os canais possíveis. Já nem falo na cirurgia ortopédica que me foi indicada, para corrigir uma artrose de grande articulação, que já comemorou lustro. Nem vou falar mais nada, pois não há adjetivos que qualifiquem tais situações e os que eu poderia mencionar não são publicáveis."