PUBLICIDADE
NESTA SEXTA-FEIRA
Sindicatos prometem fechar os portões da UFRR em mobilização
Por Ribamar Rocha
Em 13/06/2019 às 00:51
Movimento pretende reunir 5 mil pessoas nesta sexta-feira (Foto: Arquivo Folha)

Os portões da Universidade Federal de Roraima (UFRR) serão fechados para o trânsito de automóveis na manhã desta sexta-feira, dia 14, durante a manifestação que os sindicatos estarão promovendo contra a reforma da Previdência, a aprovação do projeto de lei (PL) 067/2019 e os cortes de recursos para as universidades. 

Segundo informou o presidente da Seção Sindical dos Docentes da Universidade Federal de Roraima (Sesduf/RR), Paulo Afonso da Silva Oliveira, a manifestação será pacífica e marcada por um dia de atividades, com panfletagens, rodas de conversas, passeata e atos culturais e será realizada juntamente com a Frente Sindical Popular e de Lutas de Roraima, Movimento Estudantil, Sintraima (Sindicato dos Trabalhadores Civis Efetivos do Poder Executivo de Roraima), Sinter (Sindicato dos Trabalhadores em Educação), Sindsep (Sindicato dos Servidores Públicos Federais no Estado de Roraima) e Sindprer (Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Roraima, dentre outros. 

“Esta sexta-feira, dia 14 de junho, é dia de greve geral, dia de parar o Brasil contra a reforma da Previdência e em defesa de uma educação pública, gratuita e de qualidade e, especificamente em Roraima, contra a aprovação do projeto de lei 067/2019, de autoria do Governo do Estado, que tira direitos dos trabalhadores”, afirmou Paulo Afonso.

PUBLICIDADE

Embora tenha afirmado em reportagem anterior, quando foi realizada a mobilização de 15 de maio, que aquele ato seria uma advertência para uma greve geral nesta sexta, dia 14 de junho, o presidente da Sesduf informou que este próximo ato será mais uma mobilização que pretende chamar a atenção da sociedade para os problemas enfrentados pelas universidades pelos cortes de recursos, contra a reforma da previdência e pela aprovação do PL.

“Não será deflagrada greve, mas estamos convocando as pessoas que não estarão trabalhando neste dia para acompanhar o movimento e esperamos pelo menos 5 mil pessoas, que seria o mesmo número que reunimos no movimento anterior”, afirmou.     

Quanto ao fechamento dos portões, Afonso informou que foi decidido em assembleia para dar mais segurança aos manifestantes. “Só vamos impedir o trânsito de veículos, mas quem passar a pé terá total liberdade de passar”, afirmou.   

Ele explicou que serão gastos aproximadamente R$ 7 mil com alimentação, do café da manhã e almoço para os manifestantes, e para a logística do evento, e que este recurso é rateado entre os sindicatos participantes. “Os sindicatos maiores pagam mais em relação aos sindicatos menores”, afirmou.

PROGRAMAÇÃO – Nesta sexta-feira, 14, às 6h, será servido um café coletivo na UFRR. Às 7h30, os manifestantes se deslocam até a frente do Ibama/RR e fazem um ato contra o PL 067/2019. 

Às 9h30, retornam para a UFRR, fecham os portões da UFRR nas duas entradas da instituição e inicia roda de conversa sobre a aprovação da PL 067/2019, cortes na Educação e reforma da Previdência. Às 12h será servido almoço coletivo na UFRR. 

Às 13h30 haverá concentração no portão da UFRR (Avenida Ene Garcez). Às 15h, saída em passeata até a Praça do Centro Cívico. 16h ato contra a Reforma da Previdência. 18h início do show musical e cultural ‘Nenhum Direito a Menos’ até as 22h. (R.R)

***
Gostou?
3
16
José Carlos Pacheco de Oliveira disse: Em 13/06/2019 às 14:00:19

"Esses sindicatos todos, são crias do PT e seus aliados, só sabem arrecadar dinheiro dos sindicalizados."

ELIEZER disse: Em 13/06/2019 às 07:04:12

"vão procurar o que fazer! causando tumulto e atrapalhando alunos que desejam estudar de verdade."

Bekem disse: Em 13/06/2019 às 06:58:40

"Servidores públicos não estão contentes com o governo Bolsonaro. O corte de verbas na Educação, o corte de bolsas de pós graduação, isso é inadmissível. A população não quer a reforma da presidência da forma como Paulo Guedes está apresentando. Vamos todos parar dia 14/06/2019"

Freitas disse: Em 14/06/2019 às 08:59:19

"Vai trabalhar petralha. "