PUBLICIDADE
CRESCIMENTO
Turismo em Roraima aquece após migração venezuelana
Os setores de hospedagem e alimentação foram o principal responsável pelo bom desempenho após a chegada de militares e Ongs
Por Ribamar Rocha
Em 22/08/2019 às 00:20
Bares, restaurantes e setor hoteleiro apresentaram maior número de contratações no semestre (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

Roraima fechou o 1º semestre de 2019 com criação de 73 novos postos de trabalho com carteira assinada nas atividades diretamente ligadas ao setor de turismo do Estado. É o que aponta análise feita pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Roraima (Fecomércio-RR) com base no estudo de Empregabilidade no Turismo produzido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Segundo a pesquisa, o segmento de hospedagem e alimentação foi o principal responsável pelo bom desempenho com a criação de 103 novos postos de trabalho no 1º semestre de 2019. Outro ramo do turismo que também apresentou crescimento foi o de cultura e lazer, com a criação de nove empregos formais. Juntos, estes dois setores criaram 112 postos de trabalho no estado. 

PUBLICIDADE

À Folha, o vice-presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Roraima (Abrasel/RR), Emerson Luciano de Oliveira Cruz, disse que vê esse crescimento no setor hoteleiro e de bares e restaurantes como o começo da retomada no setor. 

Ele creditou o aumento à migração venezuelana, além do pagamento em dia, do servidor público, como fatores determinantes para esse crescimento de empregos no setor.  

“A vinda de militares e pessoas ligadas às ONGs para trabalhar com a migração venezuelana movimentou o setor hoteleiro, já em relação ao aumento de empregos nos bares e restaurantes se dá, em parte, ao surgimento de novos bares e restaurantes e houve contratação para isso, além de que, com salários em dia, os servidores públicos estão frequentando mais esses locais e a tendência é de que melhore ainda mais”, afirmou. (R.R)

Em termos proporcionais, o número de empregos no Estado cresceu 1,73% neste 1º semestre, sendo a 3º maior elevação na região Norte, perdendo apenas para o crescimento apresentado no Amazonas (2,34%) e Tocantins (1,86%). 

O aumento surge depois de dois anos com retração nas contratações no setor. Conforme o mapeamento feito pela Fecomércio/RR, em 2015, foram criados 106 novos empregos. No ano seguinte, foram 92 novos postos de trabalho. Em 2017 houve queda de 28 postos de trabalho e a tendência seguiu no ano passado com menos dois postos de trabalho. 

Mesmo com o resultado positivo, algumas atividades do turismo, no estado, apresentaram retração no número de postos de trabalho, como foi o caso dos agentes de turismo, que perderam oito vagas de emprego, e do transporte de passageiros, que extinguiu 31 postos de trabalho.

O gráfico da Confederação Nacional do Comércio mostra o crescimento de empregos formais no turismo em Roraima por atividade no 1º semestre de 2019.


Economista afirma que pagamentos em dia ajudaram crescimento do setor

O economista Fábio Martinez explicou que os servidores públicos estão com maior estabilidade salarial (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

De acordo com o economista da Fecomércio-RR, Fábio Martinez, esse crescimento de vagas de emprego no setor turístico pode ser creditado à estabilidade econômica que vem acontecendo entre os servidores públicos do Estado. 

“Se compararmos a estabilidade econômica que tínhamos no Estado nesta mesma época do ano passado, a situação era bem crítica, já que boa parte dos consumidores e clientes não são apenas de turistas, mas servidores públicos locais que estavam sem estabilidade, e agora, com o salários em dia, estão voltando a consumir com suas famílias nos bares e restaurantes”, disse.

Para embasar a justificativa, o economista afirmou que a partir de meados de março é que o setor apresentou avanços com mais contratações que demissões. “Os dados são referentes ao primeiro semestre e desde o mês de fevereiro que percebemos essa mudança no setor, que apresentou quatro meses seguidos de contratações de empregos formais”, disse. 

Ele destacou que a pesquisa é feita com base nos dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, que pega os empregos formais de carteira assinada das pessoas que trabalham em atividades vinculadas ao turismo, que sejam agentes de turismo, cultura e lazer, transporte de passageiros e hospedagem e alimentação. 

***
Gostou?
4
6
Davyd disse: Em 22/08/2019 às 10:23:11

"Nos supermercados também ouve aumento muito grande de vendas visto que os imigrantes fazem compras e enviam para seu familiares que residem na Venezuela."