PUBLICIDADE
EDUCAÇÃO FINANCEIRA
Quatro dicas para começar a investir no mercado financeiro
Escolher o tipo de produto e saber quando e como aplicar são conselhos fundamentais para quem quer começar
Por Folha Web
Em 14/08/2019 às 09:58
Finanças pessoais podem ser melhoradas por meio de investimentos básicos - Crédito - Carlos Muza-Unsplash

Todos os dias vemos na televisão alguém investindo na Bolsa ou histórias de sucesso de pessoas que investiram em algum negócio. A ideia que ficamos é a de que investir é algo exclusivo das pessoas financeiramente mais abastadas.

Isso não é verdade, investir é para qualquer pessoa com conhecimento de causa. A principal coisa que você precisa saber antes de começar é que precisa ter uma margem, ou seja, tem que poupar um extra todos os meses para transformar em renda. Fazer um empréstimo online ou obter crédito junto dos bancos não é fácil para todos.

PUBLICIDADE

Por isso, veja abaixo algumas dicas para se tornar um grande investidor em pouco tempo e mudar de vida!

Quatro dicas para começar a investir

Se você nunca investiu, não precisa ficar com medo. Antes de mais nada, precisa definir objetivos, separar uma quantia que esteja de sobra e já pode começar a fazer render algum dinheiro.

1. Começar de baixo

Mesmo que você tenha bastante para investir, o ideal é começar por quotas menores. Investir é como navegar, é preciso ir pegando o feeling do negócio. Se você investir muito de primeira, tem mais chances de perder. Assim como se carregar demais um barco, ele vira.

Analistas financeiros recomendam se ater aos 10% da sua renda. Ou seja, você vai investir até 10% do que recebe líquido. Não tenha vergonha de começar investindo mesmo pouquinho. Todo mundo começa por algum lado.

Com o tempo você poderá ir aumentando a sua quota.

2. Escolher o produto adequado

Existem muitas opções para investimento, desde a poupança até ações de empresas milionárias. Os mais seguros são aqueles que tem renda fixa, como o Tesouro Direto, o Certificado de Depósito Bancário (CDB), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e as Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs).

Depois, quando você estiver mais experiente e apto a correr mais riscos, pode investir em negócios de renda variável, como os fundos de ações e até ações de grandes empreendimentos.

3. Pedir ajuda

Uma coisa que merece destaque aqui é o atendimento ao investidor. Os bancos que oferecem títulos de renda fixa possuem linhas de suporte e você não deve ter vergonha de utilizá-las.

É bastante crucial que você sane suas dúvidas e entenda um pouco sobre aquilo que está investindo. Fale com o seu gerente no banco onde comprou os títulos ou na agência credora.

Você pode ainda fazer cursos e se educar. Muitas agências de investimentos hoje em dia fornecem cursos gratuitos para atrair futuros investidores em potencial.

4. Saber quando parar

É sempre bom saber quando é hora de parar para sair vitorioso. Quem investe precisa ficar de olho nos números do mercado. Estar atento pode salvar você de criar uma dívida e perder seus lucros.

Faça o acompanhamento nas plataformas do seu interesse. Não seja ganancioso. É melhor ganhar de pouco em pouco do que perder uma grande quantia por falta de cautela.

Procure fazer, em um primeiro momento, investimentos de curto prazo para ver como você se sai e depois passe para as ações maiores. Contudo, tenha paciência, nem tudo sobe da noite para o dia.

***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!