Alto Alegre tem maior incidência de casos de malária em Roraima - Folha de Boa Vista
NO INTERIOR
Alto Alegre tem maior incidência de casos de malária em Roraima
Os registros mostram aumento significativo no número de casos em Bonfim e Amajari
Por Folha Web
Em 16/02/2021 às 08:00
Para evitar o aumento de casos, estão sendo entregues 6.250 MILD´s (mosquiteiro impregnado com inseticidas de longa duração) (Foto: Divulgação)

O município de Alto Alegre registrou a maior incidência de casos de malária em Roraima, no ano de 2020 com 8.588. Seguida do Amajari com 3.874, no mesmo período e Confim com 445 casos.

Para evitar o aumento de casos, estão sendo entregues 6.250 MILD´s (mosquiteiro impregnado com inseticidas de longa duração), sendo 4 mil de cama e 2.250 de rede, para os 11 municípios com maior incidência da doença.

Esta medida faz parte do trabalho realizado pelo NCM (Núcleo de Controle da Malária). De acordo com a gerente do NCM, Dulcineia Barros, a distribuição baseou-se em informações epidemiológicas dos locais com maior carga de malária, sendo necessário concentrar os esforços de controle.  

“O objetivo é fortalecer o controle da doença, e o controle vetorial é uma das principais medidas de combate, sendo recomendada a utilização de mosquiteiros nas localidades de transmissão sustentada. Quando utilizado dentro das normas, causa impacto na redução da malária, por isso essa estratégia está sendo colocada em prática”, afirmou.

Ela cita como exemplo a redução de casos em três municípios prioritários para malária, que, em 2019, instalaram mosquiteiros em habitações rurais e como resultado houve redução em 2020: Caracaraí (-42,84%), Cantá (-24,53%) e Rorainópolis (- 17,03%).
Dulcineia ressalta que, para garantir a cobertura satisfatória na redução nos casos da doença, foi orientado aos representantes de cada município que a instalação seja feita diretamente pelos agentes de saúde.

 “Recomendamos que sejam realizadas pelas coordenações municipais ações de educação em saúde, informando sobre a correta utilização e manutenção adequada dos mosquiteiros. É necessário que cada município faça um trabalho de sensibilização da população quanto à importância do uso diário, à lavagem quadrimestral dos MILD´s e secagem na sombra”, complementou.

REGISTROS – Os dados do NCM (Núcleo de Controle da Malária) mostram que em 2020 foram notificados 25.045 casos de malária em Roraima, o que representa um aumento de 13% em relação ao ano anterior, quando foram notificados 22.128 casos.


Os registros mostram aumento significativo no número de casos em Bonfim, com 445 casos em 2020, representando um aumento de 222% em relação a 2019, quando foram registrados 138 casos, seguido de Amajari, que teve um salto de 79%, saindo de 2.165 casos em 2019 para 3.874 em 2020, e Alto Alegre, com alta no percentual de 49%, com 8.588 casos em 2020 contra 5.780 no ano anterior.  


“Apesar do controle do vetor ser de responsabilidade dos municípios, algumas medidas ajudam a combater a malária, como usar roupas que protejam pernas e braços, usar repelente e evitar locais próximos aos criadouros do mosquito como a beira dos rios e, se possível, utilizar telas e proteção em janelas. Essas orientações sempre são feitas pelo NCM às coordenações municipais para a sensibilização da sociedade”, finalizou.


VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
0
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!