Audiência sobre impactos da migração em Pacaraima é adiada para dia 19 - Folha de Boa Vista
SOBRE CAOS SOCIAL
Audiência sobre impactos da migração em Pacaraima é adiada para dia 19
Evento é organizado por moradores, políticos e representantes de entidades de Pacaraima, município localizado na fronteira do Brasil com a Venezuela, que enfrenta um caos social por causa da migração
Por Folha Web
Em 09/10/2021 às 17:00
Representantes de entidades que tratam do processo de migração serão convidados para o evento (Foto: Câmara de Pacaraima)

A pedido de autoridades locais, a audiência pública para discutir medidas contra os impactos negativos da migração venezuelana em Pacaraima foi adiada do dia 16 para 19 de outubro. A informação é da presidente da Câmara do município, Dila Santos (Solidariedade).

Horário e local foram mantidos: 13h, no Espaço Cultural e Esportivo Thelma Vasconcelos Tupinambá. O evento é organizado por moradores, políticos e representantes de entidades de Pacaraima, município localizado na fronteira do Brasil com a Venezuela, que enfrenta um caos social por causa da migração.

Serão convidados para a audiência representantes de entidades que tratam do processo de migração, como os Ministérios Públicos Estadual (MPE) e Federal (MPF), a Defensoria Pública da União (DPU), o Tribunal de Justiça, as Polícias Militar (PM), Civil (PC) e Federal (PF), o Exército Brasileiro e agências humanitárias.

Moradores reclamam da miséria e de uma nova crescente no número de roubos e furtos, e relacionam as mazelas à vinda dos migrantes ao Brasil. Nessa sexta-feira (8), o prefeito Juliano Torquato (Republicanos) disse que Pacaraima "está virando uma favela a céu aberto".

Uma comissão de vereadores e moradores do munícipio promete ir a Brasília para discutir com parlamentares federais de Roraima as alternativas contra o caos social enfrentado por Pacaraima.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
0
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Damiao disse: Em 10/10/2021 às 13:21:42

"Tem que chamar o cmd da Operação acolhida, e perguntar pra ele por agente e o único exército do mudo que trabalha para outro País ao invés do próprio País. "