Dez municípios de Roraima já decretaram emergência por causa das chuvas - Folha de Boa Vista
INTERIOR
Dez municípios de Roraima já decretaram emergência por causa das chuvas
Presidente da Associação dos Municípios de Roraima pediu ajuda emergencial para os municípios. Governo de Roraima informou que tem atuado diretamente nas ações de resposta e apoio às cidades
Por Lucas Luckezie
Em 07/06/2022 às 16:30
Rio Caroebe e afluentes têm elevado deixado vicinais submersas no Sul de Roraima (Foto: Divulgação)

Cantá, Caroebe, Normandia e Uiramutã também decretaram situação de emergência por causa das chuvas intensas. Os decretos foram publicados no Diário Oficial dos Municípios de Roraima desta terça-feira (7).

Com isso, chega a dez o número de cidades que anunciaram a medida. Também já decretaram emergência, Alto Alegre, Bonfim, Pacaraima, Iracema, Rorainópolis e São João da Baliza.

Na mesma edição do Diário, há um pedido do presidente da Associação dos Municípios de Roraima, Joner Chagas, em que solicita ao governador Antonio Denarium (Progressistas) ajuda financeira emergencial para os municípios. “Estamos no início do inverno o que aumenta ainda mais a preocupação dos gestores municipais, que devido os escassos recursos, não podem atender as famílias em situação de vulnerabilidade social, motivado pela falta de trafegabilidade das estradas e vicinais, urbanas e rurais, impossibilitando assim o acesso para transporte de alimentos e demais necessidades fundamentais de sobrevivência”, diz o documento.

Conforme a publicação desta terça, em Cantá, o decreto considerou o excesso de chuvas que isolaram vilas e vicinais, "prejudicando ainda, o escoamento da produção rural e o acesso aos serviços públicos de saúde e educação." Além disso, citou o alagamento na ponte sobre o rio Cachorro, na rodovia federal BR-432, isolando a população da Vila Central.

Alagamento da ponte sobre o rio Cachorro começou em maio (Foto: Divulgação)

No Município, a vicinal Rio Branco, na Região da Serra Grande 1, teve seu acesso interrompido no quilômetro 4, acarretando a retirada de famílias de suas casas devido às fortes cheias do Rio Branco. Ademais, houve a elevação das águas do rio Quitauaú, que isolou trechos importantes para o acesso à região.

Em Caroebe, as chuvas intensas causaram inundação, enxurrada e alagamentos em maio. No Município, houve 776 milímetros de chuvas em abril e maio, aumentando o nível dos rios locais. Essa elevação causou, inclusive, o rompimento da BR-174, isolando a cidade, além de alagamento de ruas e vicinais, quebra de bueiros e pontes, queda de árvores sobre vias públicas e residências. Como consequência, houve "danos materiais" e "prejuízos econômicos e sociais".

O prefeito Osmar Filho (Republicanos) classificou a situação na cidade como "crítica". "Estamos com quase todas nossas vicinais intrafegáveis e a BR-210 (sentindo a Entre Rios) também já apresenta pontos críticos. A água está cobrindo algumas vicinais como 02, 03, 04, 05, 07, 49, 14, 15, 16, além da BR. O Governo está mandando umas máquinas pra mexer na 02 e estamos formando parceria pra mandarmos outras pra BR. Mas, até mesmo a execução desses serviços torna-se difícil. A forma que encontramos de pedir socorro do decretando  situação de emergência", disse.

Em Normandia, das mais de 100 comunidades indígenas, 45 já foram afetadas diretamente pelo problema, podendo o número chegar a 60. No final de maio, a cidade teve chuvas acumuladas de 349,2 milímetros na estação da ponte sobre o rio Itacutu, e 238,8 milímetros sobre o rio Maú, “quantidade de chuva muito acima da média na região” para o período.

Em Uiramutã, a emergência foi decretada porque as chuvas foram responsáveis por erosões na vicinal Caracanã, que dá acesso a comunidades, como a da região Ingaricó, em que os reparos feitos pela secretaria municipal de Obras são desfeitos pelas águas. Ademais, a estrada que dá acesso à comunidade Flexal está intrafegável, deixando a localidade outras próximas isoladas. O mesmo problema ocorre no acesso à comunidade Mutum.

O decreto cita que as comunidades estão impossibilitadas de fazer o escoamento agrícola e de se locomover até a sede para comprar alimentos, bem como retirar o benefício social. A publicação cita ainda que as localidades ficam desassistidas de atendimentos de Saúde, tanto municipais quanto pela Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena).

O que diz o Governo

Procurado para falar do pedido de ajuda financeira dos municípios, o Governo de Roraima respondeu que tem atuado diretamente nas ações de resposta e apoio aos municípios. Leia a nota completa:

“O Governo de Roraima informa que vem atuando diretamente nas ações de resposta e apoio aos municípios e a população frente às fortes chuvas e cheias dos rios e igarapés que atingem o Estado neste Inverno de 2022.

Neste momento, o Governo de Roraima trabalha com equipes fixas no Cantá, realizando a distribuição de cestas emergenciais nas comunidades que ficaram isoladas. Até o presente momento, foram entregues 579 cestas básicas para as famílias da região do Taboca, Olaria, Pau Brasil, Pau Rainha e Tatajuba.

Também foram entregues cestas básicas na vicinal 19 e vicinal Rio Branco. As entregas de cestas básicas emergenciais da operação inverno irão continuar nos próximos dias, seguindo planejamento da Defesa Civil de Roraima formulado de acordo com as demandas das prefeituras municipais. Está sendo realizada a baldeação de moradores na região da Vicinal 21 do Baruana, lado Cantá.

O Corpo de Bombeiros Militar de Roraima mantém equipe 24h na região do Passarão, zona rural de Boa Vista. A guarnição do CBMRR realiza a baldeação no local devido a cheia do Rio Uraricoera o que impossibilitou a operação de atracamento da balsa Trombetas. As travessias são realizadas até as 18h e, após este horário o serviço funciona em situações de emergência. Na sexta-feira, 03, foram entregues 57 cestas básicas emergenciais aos moradores do bairro Senador Hélio Campos.

Nesse final de semana uma equipe do Governo de Roraima iniciou o deslocamento para a entrega de cestas básicas, atendimento médico e social às comunidades do Baixo Rio Branco. Serão entregues 1.400 cestas aos moradores da região.

A Defesa Civil Estadual foi comunicada pelas Prefeituras, a decretação de Situação de Emergência nos municípios do Cantá, Pacaraima e Alto Alegre. A Defesa Civil está apoiando as prefeituras para que a SE seja reconhecida pelo Governo Federal.

Além das equipes empregadas diretamente, o Governo de Roraima informa que mantém equipes do Corpo de Bombeiros Militar e da Defesa Civil Estadual de prontidão e sobreaviso para atuação emergencial.

Qualquer emergência, a população pode entrar em contato com o 193 do CBMRR ou 199 da Defesa Civil de Roraima. Após a triagem, o atendente irá destinar equipe para prestar todo o apoio necessário.”

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
0
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!