Embarcação afunda após ser apreendida pela Cipa - Folha de Boa Vista
BAIXO RIO BRANCO
Embarcação afunda após ser apreendida pela Cipa
O proprietário registrou um Boletim de Ocorrência relatando o fato
Por Folha Web
Em 23/11/2021 às 18:54
Apreensão ocorreu na região do Baixo Rio Branco no município de Caracaraí. (Foto: Divulgação)

Um flutuante, pertencente a uma empresa, foi apreendido pela Companhia Independente de Policiamento Ambiental da Polícia Militar (Cipa), na região do Baixo Rio Branco no município de Caracaraí, neste final de semana, e afundou durante o trajeto até a sede do município.

Em nota a Fundação Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Femarh), informou que o flutuante foi apreendido por estar sem licenciamento ambiental para atuar na área e sem alvará de funcionamento.

O proprietário da embarcação, que preferiu não se identificar, prestou um Boletim Ocorrência (BO), junto a Polícia Civil do município, alegando que a apreensão foi arbitrária, pois segundo ele, a embarcação não estava em atividade e possui toda documentação.

Em depoimento à PCRR, o homem informou que deixou um vigia trabalhando no local, e em determinado momento, o funcionário saiu para comer, e ao retornar, o flutuante não estava mais. O vigia informou ao proprietário que não sabia como a embarcação havia sido levada, pois ele estava de pose da chave.

Por outro lado, a Femarh disse ainda em nota que, a embarcação apreendida estava sendo conduzida para Caracaraí quando afundou por más condições. “Por conta das péssimas condições de estrutura naufragou, demonstrando claramente o risco que os turistas e ocupantes do barco corriam”, diz trecho da nota.

No Boletim de Ocorrência, registrado pelo proprietário, é informado que o flutuante está avaliado em mais R$1,5 milhões e que agentes da Femarh juntamente com policiais da Cipa levaram o barco e deixaram no Rio Branco, em frente a um local conhecido como Lago Novo Destino, onde afundou.

Ainda de acordo com a Femarh a empresa já havia sido notificada. “A empresa e o proprietário já tinham sido notificados para regularizarem a situação junto aos órgãos de controle, mas as multas e embargos dos órgãos ambientais foram ignorados, o que motivou a apreensão da embarcação”, complementa a nota.

No entanto, o proprietário alega que a documentação está em dia. “Não consta nada na Marinha de irregularidade. O flutuante não estava exercendo nenhuma atividade, estava ancorado na calha do rio Branco. A embarcação foi pega sem uma ordem de busca e apreensão, sem falar com o funcionário e não cabe a eles fazer essa apreensão”, acrescentou o proprietário.

“A Femarh esclarece ainda que todas as empresas que atuam na área precisam estar regularizadas e com as licenças ambientais e de funcionamento em dia e que todos os materiais irregulares e sem autorização de funcionamento são apreendidos conforme determina a legislação ambiental’, finaliza a nota da Fundação.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar de Roraima foi acionada nesta terça-feira, 23, para retirar a embarcação da água.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
4
5
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!