Migrantes provocam aglomeração em Pacaraima - Folha de Boa Vista
CRISE MIGRATÓRIA
Migrantes provocam aglomeração em Pacaraima
Parte da multidão procura se regularizar no país. Operação Acolhida disse que trabalha na organização da fila e distribui senhas para atendimento, sem o migrante ou refugiado aguardar por dias
Por Folha Web
Em 02/09/2021 às 11:30
Migrantes se aglomeram na chegada a Pacaraima (Foto: Reprodução)

Um vídeo que circula nas redes sociais, nesta quinta-feira (2), mostra uma extensa fila de migrantes em uma rua do município de Pacaraima, na fronteira entre Brasil e Venezuela. É possível ver também aglomeração e a falta do uso de máscara por parte de algumas pessoas. Parte da multidão procura por serviços como a regularização migratória no país.

Em outro vídeo, um agropecuarista relata a existência de “quarteirão de pessoas” que fogem da fome, da miséria e do desespero na Venezuela. “São senhoras, mulheres com crianças”, relata.

"A maior concentração de gente é no Centro da cidade, e na frente da Operação Acolhida. E a noite tem muita gente dormindo na quadra de esporte aqui do município e nas marquises dos mercados", disse um morador do município, que pediu anonimato ao falar com a FolhaBV.

Responsável pelo acolhimento aos migrantes, a Operação Acolhida disse, em nota (veja a íntegra abaixo), para diminuir e evitar aglomerações desnecessárias na frente do Posto de Interiorização e Triagem no município, organiza fila e distribui senhas para atendimento.

“Não há necessidade do migrante ou refugiado ficar aguardando por dias seu atendimento, porque é possível saber, com certa precisão, quando ele será atendido”, diz em trecho da nota.

O número de pessoas que aguardam nas filas, segundo a Acolhida, varia diariamente, tendo dias de picos que ocorrem por diversos motivos. A operação diz que busca orientar os venezuelanos sobre a regularização migratória, nas imediações onde os eles formam as filas.

Confira a íntegra da nota da Operação Acolhida:

"A Operação Acolhida esclarece que a Portaria Nº 655, de 23 de junho de 2021, permitiu a continuidade das ações humanitárias em curso e, também, a regularização migratória de migrantes e refugiados que entraram no País desde março de 2020, de acordo com os meios disponíveis (pessoal e material). 

O número de pessoas que aguardam em filas para o atendimento em Pacaraima varia diariamente, tendo dias de picos que ocorrem por diversos motivos. Para tanto, a Acolhida tem investido pessoal e material para orientar os venezuelanos quanto ao procedimento de regularização migratória, inclusive por intermédio de mensagens em áudio, gravadas em português e espanhol, difundidas diariamente, várias vezes, nas imediações onde os venezuelanos formam as filas.

Outra iniciativa adotada no sentido de diminuir e evitar a aglomeração de pessoas desnecessariamente na frente do PI Trig foi a adoção de um processo destinado a organizar a fila e distribuir senhas para atendimento, sob controle da Força-Tarefa. Portanto, não há necessidade do migrante ou refugiado ficar aguardando por dias seu atendimento, porque é possível saber, com certa precisão, quando ele será atendido.

A capacidade de atendimento diário no Posto de Recepção e Identificação (PRI) e no Posto de Interiorização e Triagem (PI Trig) de Pacaraima/RR é de 300 pessoas por dia. Esse número está de acordo com a capacidade máxima de atendimento proporcionada pelos meios disponíveis, sem colocar em risco a saúde dos venezuelanos e dos nacionais que trabalham nesses postos, haja vista que a pandemia ainda não acabou e é preciso evitar aglomerações desnecessárias de pessoas.

Nessas instalações da Acolhida, onde órgãos e agências governamentais e não governamentais trabalham em sinergia, são feitas a testagem COVID; a imunização, conforme o calendário nacional de vacinação; a emissão de documentos (conhecidos como permissos) que autorizem a entrada regular no País; a retirada de CPF; a elaboração e expedição de protocolos de refúgio ou de residência temporária; entre outros.    

Portanto, atuando dentro dos princípios da legalidade e legitimidade, a Operação Acolhida vem gerenciando diuturnamente o recebimento de migrantes venezuelanos, ordenando, abrigando e interiorizando milhares de venezuelanos desde 21 de março de 2018.

Em termos de abrigamento, a Acolhida dispõe de 13 abrigos e 4 alojamentos, distribuídos em Boa Vista/RR, Pacaraima/RR e Manaus/AM, sendo 5 (cinco) deles destinados a migrantes e refugiados de origem indígena. Atualmente, a capacidade total (abrigos e alojamentos) é de quase 12 mil pessoas.
Com base nos dados de 18 de agosto, a quantidade de migrantes que se encontra em cada abrigo e alojamento da Acolhida é a seguinte: 6.906 abrigados e 2.945 alojados. Os dados são equivalentes a 87,47% de abrigados e 70,14% de alojados.

1) Abrigos:

- São Vicente 1: 245
- São Vicente 2: 175
- Rondon 1: 984
- Rondon 2: 364
- Rondon 3: 1157
- Rondon 4: 773
- Jardim Floresta: 414
- Pintolândia: 585
- Pricumã: 931
- Tancredo Neves: 197
- Nova Canaã: 263
- Espaço Emergencial 13 de Setembro: 246
- Janokoida: 443

2) Alojamentos

- BV8: 1963
- PRA (Rodoviária de Boa Vista) 771
- ATM: 35
- PRA (Manaus): 20".

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
0
6
Cadastrar-me Enviar Comentário
Rildo Lopes disse: Em 03/09/2021 às 02:21:15

"Estamos enxugando gelo com dinheiro público. Enquanto ONGs exigem prioridade!"