Operação Acolhida nega restrição de entrada de migrantes na fronteira - Folha de Boa Vista
EM PACARAIMA
Operação Acolhida nega restrição de entrada de migrantes na fronteira
"Todos os que entrarem legalmente serão atendidos", ressaltou a operação que atende refugiados
Por Folha Web
Em 11/07/2021 às 10:29
Moradores da região denunciaram aumento de pessoas na divisa com a Venezuela (Foto: Ilustrativa/Arquivo FolhaBV)

A Operação Acolhida, responsável pelo atendimento a migrantes refugiados da Venezuela na fronteira de Pacaraima, informou que não há restrição para entrada de estrangeiros no país. A informação foi divulgada após denúncia de moradores da região de que apenas 50 pessoas poderiam adentrar por dia, o que resultava em um grande número de pessoas esperando para entrar no Brasil.

Segundo o Exército Brasileiro, não há limites previamente estabelecidos ou qualquer tipo de restrição que impeça os venezuelanos de serem atendidos no Posto de Recepção e Identificação (PRI) da Acolhida em Pacaraima.

Confira a nota na íntegra:

A Operação Acolhida norteia os trabalhos pelos princípios da legalidade e da legitimidade. Nesse sentido, em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, por intermédio da Polícia Federal; agências da ONU e demais parceiros, contribuí para o ordenamento da fronteira com a Venezuela, executando a identificação, a vacinação e a documentação de migrantes e refugiados venezuelanos, no estrito cumprimento da Portaria Nr 655, de 23 de junho de 2021, que trata da restrição da entrada de estrangeiros no País, de forma emergencial e temporária, por recomendação da Anvisa.

Não há limites previamente estabelecidos ou qualquer tipo de restrição que impeça os venezuelanos de serem atendidos no Posto de Recepção e Identificação (PRI) da Acolhida em Pacaraima. Todos os que entrarem legalmente serão atendidos. Caso não seja possível concluir o processo de regularização migratória de todos no mesmo dia, aos que necessitarem é oferecida a possibilidade de pernoitar no alojamento BV8.

ENTENDA - Desde o dia 25 de junho, o Governo Federal atualizou a portaria que restringe a entrada de estrangeiros no país e passou a permitir o ingresso de estrangeiros em situação de vulnerabilidade social. Por conta disso, o volume de pessoas na fronteira de Pacaraima com a Venezuela aumentou, com uma média de centenas de pessoas aguardando para entrar no Brasil por dia.

A informação foi prestada à FolhaBV por moradores do município de Pacaraima. Eles explicam que muitos dos migrantes acabam permanecendo na divisa, às vezes, em situação de vulnerabilidade.

"Isso está gerando um tumulto aqui toda manhã. Algumas pessoas tentam até discutir com a gente (os moradores) para ver se conseguem. Tentam ganhar na conversa, mas não tem resultado", completa um morador da região, que preferiu não se identificar.

Leia mais: 

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
2
4
Cadastrar-me Enviar Comentário
SANTOS disse: Em 12/07/2021 às 09:54:40

"- Até se entende a intenção de prestar solidariedade a quem está necessitado. Mas, também se faz necessário zelar pelo bem-estar da população hospedeira, no caso a sociedade roraimense. - Além da não aplicação da Lei da Reciprocidade, aplicando a venezuelanos o mesmo tratamento dispensado por cidadãos e autoridades daquele país a Brasileiros que por lá se aventuraram, sabido é quer nem todos os que atravessam a fronteira são pessoas de boa índole, como já demonstrado anteriormente pelo desenfreado aumento da criminalidade, não só em Roraima, mas em diversos Estados para onde foram deslocados esses migrantes pelo programa de interiorização. Notícias de incomum desordem foram noticiadas no Amazonas, Paraná, Mato Grosso, Rio Grande do Sul. - Nosso sistema de Segurança Pública de há muito é insuficiente para fazer com que a comunidade sinta-se segura e, depois disso, menos ainda. Não à toa registra-se vultoso número de venezuelanos integrando a população carcerária, o que não se constata com migrantes de outras nacionalidades, como haitianos e guienenses, por exemplo. - Toda essa solidariedade pode ser bonito, politicamente correto, mas muito nociva a Brasileiros, principalmente os de Roraima. "

Manuel disse: Em 11/07/2021 às 13:57:08

"*NICOLÁS MADURO PROMETE ?ARREBENTAR OS DENTES? DE JAIR BOLSONARO* E nos aqui querendo acolher esta gente.... Brincadeira mesmo."

Damiao disse: Em 11/07/2021 às 11:36:20

"Exército Brasileiro o único do mundo não traz benefícios pra seu próprio País. "