Conheça os benefícios que a música oferece para a saúde mental  - Folha de Boa Vista
PSICOLOGIA
Conheça os benefícios que a música oferece para a saúde mental 
Wagner Costa, especializado em psicologia positiva, informa que os estímulos musicais potencializam a reabilitação física e cognitiva de várias síndromes e transtornos do desenvolvimento, como mal de Alzheimer e déficit de atenção
Por Folha Web
Em 20/06/2022 às 09:32
Wagner informa ainda que os estímulos musicais potencializam a reabilitação física e cognitiva de várias síndromes e transtornos do desenvolvimento (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

Você sabia que o hábito de ouvir música não é só um entretenimento? Além das boas sensações, a música pode te trazer inúmeros benefícios, como a capacidade de acalmar a mente e fortalecer o cérebro, melhorando a memória e prevenindo demência, tornando-se forte aliada no desenvolvimento da concentração.

O psicólogo Wagner Costa, especializado em psicologia positiva e mestre em ciências da saúde, diz que ouvir músicas faz com que o cérebro funcione de uma forma diferente, melhorando a sua capacidade. Ele diz que ao ouvir uma música, o cérebro junta som, melodia e sentimento ao mesmo tempo; e isso é como se fosse um exercício para o bem estar. 

De acordo com ele, quando se fala em saúde mental, a música pode fazer parte da rotina do ser humano (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

De acordo com ele, quando se fala em saúde mental, a música pode fazer parte da rotina do ser humano. Por isso, ele incentiva seus pacientes a tocar instrumentos musicais. 

“O estresse é um dos nossos maiores problemas hoje, porque a gente faz milhares de coisas ao mesmo tempo. Então quando a pessoa toca um instrumento musical, ela está treinando foco. É como se fosse uma meditação, só que musical. Então isso funciona como exercício de concentração”, explicou. 

O psicólogo não descarta que outros hábitos, como leitura e jogos, sejam bons, mas enfatiza que segundo pesquisas, tocar um instrumento musical é o melhor exercício para o cérebro, permitindo o processamento de informações, numa velocidade maior que a normal.  

Wagner informa ainda que os estímulos musicais potencializam a reabilitação física e cognitiva de várias síndromes e transtornos do desenvolvimento, como a dislexia, o mal de Alzheimer e o déficit de atenção. 

As músicas têm uma característica que os psicólogos chamam de “âncora”. Elas são capazes de trazer de volta algumas lembranças de momentos especiais. “No caso do idoso com Alzheimer, estimula sentimentos, sensações e remete a épocas, pessoas, lugares e experiências vividas, trazendo emoções guardadas em sua memória”, disse o profissional da saúde.

“Se você está ansiosa e você começa a se prender a uma determinada música para ficar tranquila, no dia que estiver ansiosa se ouvir aquela música, sua tranquilidade volta, porque o cérebro guarda isso como memória implícita”, completou. 

O psicólogo finaliza dizendo que os ritmos musicais devem ser selecionados conforme o gosto pessoal de quem irá ouvir. Por exemplo, existem músicas que potencializam a expressão da criatividade, da concentração, paz e alegria, então ele recomenda que o ouvinte crie uma playlist [lista de músicas] para cada  mood [humor]. 

  

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
16
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!