IOHAY TIMBÓ
Cantor e compositor prepara lançamento do seu primeiro EP
O artista começou no mundo da música aos nove anos, quando participou de um concurso musical e venceu o primeiro lugar
Por Raisa Carvalho
Em 19/06/2018 às 07:07
O músico Iohay Timbó, de 19 anos, está produzindo seu primeiro EP (Fotos Marcelo Marques)

O músico Iohay Timbó, de 19 anos, está produzindo seu primeiro EP, que será repleto de canções autorais que misturam os mais diversos gêneros musicais, entre eles, rap, samba, rock, MPB, brega, e o que se chama de “música regional”.

Sua primeira música de trabalho, “Zequinha do Terreiro”, já está sendo gravada e fala sobre um caseiro que trabalha em uma fazenda e se rebela contra o patrão, um cenário muito comum em Roraima.

“Essas histórias me inspiraram em transformar isso em música. Desde quando comecei a escrever as letras, no ensino médio, eu sabia que as canções seriam uma voz, era uma forma de colocar o que se passava na cabeça do jovem. A música é uma oportunidade de falar. Minhas letras não falam apenas do cotidiano ou de política, também escrevo sobre amor e sentimentos”, disse.

Iohay começou no mundo da música aos nove anos, quando participou de um concurso musical e venceu o primeiro lugar. De lá para cá, aprendeu a tocar violão e montou uma banda com amigos da cena musical jovem.

“A música brasileira é assim, aqui em Roraima, nós chamamos de regionalismo, que é um estilo muito próprio de se tocar e cantar e influencia a nova geração de músicos. Uma das minhas maiores influências é o cantor Nêuber Uchoa, desde a forma que ele toca violão, ele tem um swing diferente com a mão direita que faz um ‘groove’ onde todo mundo fica babando”, relata.

Apesar de ter uma carreira solo, Iohay faz parte do projeto musical ‘Urutu’, formada por Geris Ked Jr na guitarra, Matheus Gonçalves na Percussão, Ícaro Leony na bateria e Vitor Breno no contrabaixo. No repertório, canções que faziam parte da sua antiga banda, Míssil Javali.

Segundo ele, o grupo recebe influências de novos grupos musicais como Baiana System, Nação Zumbi, Criolo e Black Alien. “Nossa ideia é lançar um trabalho nessa primeira fase. A ideia é registrar essas músicas que eu escrevi, porque até o momento tem apenas uma música na web, ‘Malabares e acrobatas’, que foi gravada ainda com o antigo projeto” contou.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!