ENADE
Curso de Letras da Universidade Federal alcança nota máxima
A graduação de licenciatura em Letras da UFRR foi a única no Estado e uma das poucas do país que obteve um desempenho satisfatório no exame nacional
Por Paola Carvalho
Em 11/10/2018 às 08:17
A informação foi divulgada nesta semana pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). (Foto: Arquivo/FolhaBV)

O curso de licenciatura Letras Português-Inglês da Universidade Federal de Roraima (UFRR) alcançou a pontuação máxima na avaliação do desempenho de estudantes do ensino superior. Os dados são referentes aos exames realizados no ano passado com mais de 10 mil instituições, públicas e privadas, com cursos presenciais e à distância em todo o Brasil. No entanto, somente 6% delas alcançaram a nota 5, a mais alta.

A informação foi divulgada nesta semana pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e Ministério da Educação (MEC) com base na avaliação do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade).

O exame calcula os desempenhos dos estudantes concluintes dos cursos de graduação e a cada ano se dedica a um tipo específico de graduação. Em 2017, foram avaliados os estudantes de bacharelado de Arquitetura e Urbanismo; de Engenharia e Sistema de Informação. Também foram inclusos os acadêmicos se formando em bacharel ou licenciatura em Ciências, Filosofia, Física, Geografia, História e Letras. Além disso, também se acrescente os estudantes de licenciatura em Artes Visuais, Educação Física, Música e Pedagogia e os tecnólogos em Análise de Desenvolvimento de Sistemas, Redes de Computadores, Gestão da Produção Industrial e Gestão da Tecnologia da Informação.

RORAIMA – No Estado, a avaliação foi promovida nos municípios de Boa Vista e Rorainópolis analisando, além da UFRR, a Universidade Estadual de Roraima (Uerr), Instituto Federal de Roraima (IFRR), Faculdades Cathedral, Centro Universitário Estácio da Amazônia, Faculdade Roraimense de Ensino Superior (Fares) e a Faculdade de Ciências, Educação e Teologia do Norte do Brasil (Faceten).

A avaliação levou em conta 42 cursos de graduação no Estado e os estudantes prestes a receber o diploma. Foram 1001 acadêmicos inscritos na prova, mas somente 785 participaram do exame.

UFRR OBTÉM MELHOR MÉDIA NO ESTADO

A Universidade Federal obteve o melhor índice na avaliação de 20 cursos de graduação. Além da nota máxima para Letras Português-Inglês, também se destacam os cursos de Letras (Português e Espanhol), Arquitetura e Urbanismo e Engenharia Elétrica que obtiveram nota 4.

A maioria das avaliações dos cursos foi mediana, com nota 3, incluindo as graduações em Letras – Português (Licenciatura), Ciências Biológicas (Licenciatura), Pedagogia (Licenciatura), História (Licenciatura), Geografia (Bacharelado e Licenciatura), Ciências da Computação (Bacharelado) e Engenharia Civil. Porém, a instituição também teve índices negativos nos cursos de Ciências Biológicas (Bacharelado) com nota 2 e três cursos, de Física, Artes Visuais e Ciências Sociais, com a pior nota, no nível 1.

De acordo com a pró-reitora de Ensino e Graduação da UFRR, Lucianne Vilarinho, a instituição deseja realizar uma análise dos resultados curso a curso, para assim saber quais as medidas que podem ser tomadas no intuito de melhorar os índices, tanto estruturais quanto de conteúdo, mas adianta que a avaliação é um reflexo do esforço coletivo da unidade de ensino.

A pró-reitora reforçou que o sistema de análise do Enade não leva em consideração os sistemas diferenciados de adesão aplicados pela UFRR para alguns cursos, como Arquitetura e Urbanismo. No ano passado, o curso de Medicina foi mal avaliado pelo MEC por considerar somente o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como forma de entrada.

“Como o aluno de Arquitetura e Medicina não entra pelo Enem, a gente acaba tendo um prejuízo por ter um sistema diferenciado de avaliação, com uma segunda etapa. A instituição tem buscado adequar à forma de avaliação do MEC para que inclua os outros formatos, para que as avaliações dos cursos sejam feitas com mais precisão. A gente espera que o MEC observe que o método de avaliação do Enade só se aplica quando os alunos entram pelo Enem”, reiterou.

UERR E ESTÁCIO ATUAL TAMBÉM SÃO BEM AVALIADAS

A Universidade Estadual também recebeu resultados positivos, com o curso de Educação Física (Licenciatura) alcançando a nota 4. No entanto, nas demais avaliações, a Uerr teve nota abaixo do esperado com os cursos de licenciatura de Química, Ciências Biológicas, Pedagogia, Geografia e Filosofia com nota 2 e os cursos de Letras – Português, História, Ciências da Computação e Engenharia Florestal com nota 1.

O Centro Universitário Estácio também esteve na média considerada positiva, com os cursos de Tecnologia em Redes de Computadores e Ciência da Computação (Licenciatura) avaliados na faixa dos 3 pontos. Porém, a instituição teve avaliação 2 para os cursos de Pedagogia (Licenciatura) e Sistema de Informação.

Em nota, a Estácio informou que os alunos de Redes de Computadores e Licenciatura em Computação participaram do exame pela primeira vez e, por isso, não foi possível estabelecer uma comparação entre o ciclo atual e o anterior. Com relação ao curso de Pedagogia, embora o conceito fechado tenha sido 2, houve uma melhora de 5% na nota contínua (1,512 para 1,576).

A Estácio ressalta ainda que obteve notas mais positivas no Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD), que leva em consideração os dados do Enade e do Enem. Por isso, espera que os cursos mantenham o Conceito Preliminar de Curso (CPC) igual a 3, que é considerado bom pelo MEC.

Ainda assim, a unidade planeja promover uma análise dos resultados individuais dos alunos. “Estes resultados serão cruzados com as matrizes curriculares dos cursos para que sejam identificadas eventuais fragilidades na estruturação do curso e que as correções necessárias sejam efetuadas pelo Núcleo Docente Estruturante (NDE) e pelo colegiado do curso”, frisou a instituição.

DEMAIS INSTITUIÇÕES TEM AVALIAÇÃO NEGATIVA

As outras unidades avaliadas, Cathedral, IFRR, Faceten e Fares, tiveram uma avaliação negativa com nota 2 ou abaixo disso. Os cursos de Pedagogia (Licenciatura) da Faceten, o de Pedagogia (Licenciatura) à distância da Fares e o de Ciências Biológicas (Bacharelado) da Cathedral tiveram nota 2.

O Instituto Federal foi o que teve a pior avaliação, com os cursos de Tecnologia em Análise de Desenvolvimento de Sistemas, Matemática (Licenciatura) e Educação Física (Licenciatura) recebendo nota 2 no Enade e o curso de Ciências Biológicas (Licenciatura) com nota 1.

Os cursos de Matemática (Licenciatura) da Uerr e os de Química e Matemática (Licenciatura à distância, Licenciatura presencial e Bacharelado) da UFRR não tiveram pontuação contabilizada.

Sobre o caso, a Faculdade Cathedral informou que a nota do curso de Biologia referente à prova do Enade 2017 ainda não é o resultado final e que espera ter um resultado mais positivo. “Esse foi apenas o resultado da prova em si, sem avaliar os demais indicadores. Em novembro, o Inep divulgará outros dois indicadores como o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC), compondo a nota final”, disse a instituição.

A Folha também entrou em contato com a Uerr, Fares, Faceten e IFRR para obter informações sobre as suas pontuações, porém, não recebeu retorno até o fechamento da matéria. (P.C.)

***
Gostou?
10
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!