Governo quer que participação da setor privado na economia chegue a 70% - Folha de Boa Vista
ECONOMIA DO CONTRACHEQUE
Governo quer que participação da setor privado na economia chegue a 70%
Para chegar a essa meta até 2030, uma das apostas são os investimentos na indústria
Por Folha Web
Em 02/08/2021 às 06:02
Secretário estadual de Planejamento, Emerson Baú, diz que o governo está investindo na geração de emprego e renda, mas de forma estruturada. (Foto:Arquivo/Diane Sampaio)

Atualmente o setor privado tem uma participação de aproximadamente 53% na economia. A proposta do Governo do Estado é aumentar esta contribuição para 70% até 2030. Dessa forma, a intenção é diminuir a dependência do setor público e da famigerada “economia do contracheque”. 

Segundo o secretário estadual de Planejamento e Desenvolvimento, Emerson Baú, em entrevista ao programa Agenda da Semana na Rádio Folha FM 100.3, apresentado pelo economista Getúlio Cruz, a projeção é que o Produto Interno Bruto (PIB) de Roraima cresça 5% ao ano até lá. 

Para que se atinja este objetivo, um dos focos atuais tem sido o investimento na indústria. Baú deu o exemplo de uma construtura instalada em Roraima, que para atender sua necessidade, comprou uma usina de concreto e hoje é mais uma ofertante de mercado. “É esse tipo de promoção que o Governo do Estado está buscando para que tenhamos emprego e renda, mas de forma estruturada”, destacou. 

Suframa

Um dos investimentos na indústria de Roraima vem por meio da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), que disponibilizou recurso de R$ 8,5 milhões para que o governo de Roraima invista no desenvolvimento do Distrito Industrial de Boa Vista. 

Somando a contrapartida estadual feita à emenda de bancada, serão R$ 10 milhões para asfaltamento e estruturação do distrito. O secretário anunciou mais R$ 9 milhões, também de emendas, para asfaltamento de mais ruas do Distrito Industrial. 

Títulos definitivos

Outra linha de investimento é a segurança jurídica por meio de títulos definitivos. Segundo o secretário, antes do governo Denarium, 60 títulos haviam sido entregues, e em dois anos e meio, o governo já entregou mais 64 títulos. A meta, conforme Baú, é chegar a 100 títulos definitivos no local. 

O secretário também informou o investimento na venda de lotes institucionais próximos à margem da BR-174, antes tomada pelo mato. “Estamos fortalecendo o Distrito Industrial, garantindo segurança jurídica, ampliação da área de produção, e infraestrutura”, pontuou, ao citar ainda alterações na parte legal, para favorecer, por exemplo, a geração de energia com fontes renováveis.

ZPE

O secretário também comentou o fato de a prefeitura de Boa Vista ter perdido todos os prazos para construção da ZPE (Zona de Processamento e Exportação de Boa Vista), criada em 2010. 

O secretário mencionou que Roraima é o único estado onde o Distrito Industrial é administrado pelo Estado, que pretende pleitear a administração da ZPE. “Se estamos fazendo toda essa revitalização, com certeza daremos conta em relação à ZPE também. É só o ministério [da Economia] autorizar que vamos instalar a ZPE e gerar esses 10 mil empregos somente na sua fase inicial”, disse Emerson Baú.

Esta zona é um distrito industrial incentivado, no qual indústrias operam com benefícios tributários, cambiais e administrativos, instrumento considerado fundamental para alavancar a economia de Roraima, mas que corre o risco de ser extinto antes mesmo de gerar resultados.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
6
1
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!