PUBLICIDADE
CARREIRA INTERNACIONAL 
Roraimense fala da carreira no futebol da Letônia 
Felipe Brisola irá disputar os play-offs da Liga dos Campeões 2019/2020 com o Riga FC
Por Bennison de Santana
Em 11/06/2019 às 00:01
Meio-campista atua há duas temporadas no futebol letão (Foto: Zigismunds Zalmanis/Riga FC)

A Folha de Boa Vista conversou através da Internet com Felipe Brisola, jogador roraimense de 28 anos que atualmente defende as cores do Riga da Letônia e que mora no referido país. Em bate papo, o meio-campista revelou como foi e está sua vida no futebol europeu após ter passado pela Bulgária e está há duas temporadas no futebol letão e acumula importantes títulos e feitos no antigo e novo clube. 

Ainda na Bulgária, onde esteve no Botev Plovdiv antes de chegar ao Riga, o roraimense conquistou importantes títulos no futebol búlgaro onde ergueu a taça da Copa da Bulgária e Supercopa da Bulgária. O jogador teve atuação brilhante que chamou atenção do seu atual clube.  

Pelo Riga FC foi campeão da Copa da Letônia e campeão da Liga – 1ª divisão do futebol letão – com quem ajudou o time novo a conquistar os primeiros respectivos títulos pela primeira vez na história do clube. 

“Agora vai ser a primeira vez que o clube vai participar dos play-offs da Champions League e eu estou tendo essa oportunidade de fazer parte dessa história”, frisou. 

Na nossa conversa, perguntamos a Felipe o que de diferente tem no futebol da Letônia com os demais no qual atuou. 

“Aqui é um futebol de muita força por estar próximo aqui da Rússia e Ucrânia. Tem muitos russos, muitos ucranianos e o futebol é bem pegado e de muita força e quando se tem um pouco de técnica a gente consegue fazer um bom trabalho e demostrar em campo. Aliando sempre a força porque hoje em dia o futebol é muito físico”, contou.  

Felipe Brisola contou também o que mais o marcou nesse tempo de Europa. Ele aproveitou e falou do futuro. 

“Em 2017 eu tive a felicidade de disputar os play-offs da Europa League, chegamos na terceira rodada e que bateu na trave pra entrar. Perdemos pro Marítimo de Portugal e agora esse ano vou ter a oportunidade de jogar os play-offs da Champions League e a gente sabe que se formos eliminados iremos disputar a Europa League, então são essas as competições que temos oportunidade de entrar. É o que mais me marca e o que eu mais busco aqui. Tentar jogar fase de grupos de Champions League e Europa League. Pra qualquer jogador é um sonho”, disse. 

Felipe Brisola é um dos principais nomes do time letão na temporada (Foto: Zigismunds Zalmanis/Riga FC)

Longe de casa, em outro continente, Brisola contou do que mais sente falta no Brasil e destacou a capital roraimense como principal local. 

“O que mais me faz falta no Brasil é a minha família que é toda de Roraima. Eu sinto muita falta da cidade, das pessoas, dos amigos. Sem falhar, um ano, eu vou em Boa Vista e pra mim é importante porque recarrega as energias. Boa Vista é um lugar especial pra mim, onde cresci, tenho vínculos, meus melhores amigos estão aí e pra mim é sempre importante tá indo visitar as pessoas e eu sei que elas também ficam felizes porque sei que eu represento bastante coisa pro futebol roraimense”, explicou.

Ele relembrou do início de sua a carreira por aqui pelo Estado e aproveitou pra deixar um recado para os garotos que sonham em serem jogadores de futebol.

“Em Roraima comecei na Escolinha AABB. Na época o Marquinhos Cai-Cai e Betão eram os treinadores e a gente começou lá como uma brincadeira e mais tarde, lá com 13 e 14 anos eu entrei para o Constelação e comecei a jogar futsal onde eu comecei a levar mais a sério. Treinava todos os dias e viajava para as competições. Em Roraima foi os dois únicos lugares que atuei”, lembrou 

“Você tem que se preparar porque as coisas não são fáceis. O futebol é um mundo bem complicado, não só pra quem tá começando, mas pra quem está no futebol há 10 anos como eu. É um mundo complexo independente do nível que você está. Se você joga a série D, C, B, A, joga na Europa, em qualquer lugar futebol é complicado porque tem muita concorrência, muita gente qualificada, você vai ter que se superar pra tá jogando e eu digo para os garotos é que não desistam. Se você quer, busquem e aperfeiçoe seu talento, busque melhorar sempre”, concluiu.

PASSAGEM POR CLUBES – Em Roraima começou na Escolinha da AABB na época sobre os olhares de Betão e Marquinhos Cai-Cai, passou pelo Constelação no futsal com 13 e 14 anos. Fora do Estado teve passagens pelo Juventude de Caxias do Sul-RS, Internacional de Santa Maria-RS, Anapolina-GO, Goiatuba-GO, Atlético-GO, Vila Nova-GO, Atlético Catalão-GO e Intumbiara-GO. Fora do Brasil atuou no Botev Plovdiv da Bulgária e atualmente está no Riga da Letônia. 

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!