PUBLICIDADE
OPERAÇÃO ZARAGATA
Empresário é solto após conseguir habeas corpus
Pedido de soltura foi julgado em Brasília; de acordo com advogado, cliente não vai precisar usar tornozeleira
Por Folha Web
Em 14/03/2019 às 01:54
José Wallace Barbosa da Silva foi preso no dia 9 de janeiro em São Paulo (Foto: Divulgação)

O empresário José Wallace Barbosa da Silva, preso durante a Operação Zaragata, recebeu habeas corpus da Justiça e irá esperar pelo julgamento em liberdade. O advogado de defesa do suspeito, Angelo Peccini, explicou que a liberação foi dada pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1).

“Foi julgado o habeas corpus no tribunal em Brasília, meu cliente teve a prisão convertida e não precisará usar tornozeleira, pois responderá pelas acusações em liberdade. A desembargadora entendeu que não havia motivo para ele permanecer em cárcere e a liberação foi cumprida pela Justiça de Roraima”, afirmou.

José Wallace Barbosa da Silva foi preso no dia 9 de janeiro em São Paulo. Ele é suspeito de envolvimento em desvios de cerca de R$ 50 milhões em recursos públicos por conta de contratos, além de acusações de cobrança de propinas nos serviços de transporte escolar do Estado.

PUBLICIDADE

ZARAGATA – A operação foi deflagrada em dezembro e cumpriu 10 mandados de prisão preventiva e 12 de busca e apreensão em Boa Vista. Eles foram expedidos pela 1ª Vara Federal do Estado de Roraima.

O inquérito apurou supostas irregularidades cometidas pelo governo de Roraima em contratação com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) por meio de dispensa de licitação emergencial e outras irregularidades, como a cobrança de propinas de empresas responsáveis pelo transporte, falsificação de documentos e fraudes de processos licitatórios, entre outras atividades ilícitas. 

***
Gostou?
0
27
Damiao disse: Em 14/03/2019 às 09:06:22

"Parabéns pra Justiça do rico. Esse cara roubo 50 milhões mais a esposa, e agora vão gastar o dinheiro livres, leves e soltos. O Brasil Bom pra Bandido Do colarinho Branco. "

Bernardo Arcilou disse: Em 14/03/2019 às 08:57:45

"Eita justiça Boa. Se fosse um pobre coitado talvez já estivesse até condenado."