PUBLICIDADE
SAÚDE
Enfermeiros da Maternidade denunciam falta de funcionários
Segundo os servidores, a situação atual é de um técnico de enfermagem para oito recém-nascidos
Por Folha Web
Em 19/04/2019 às 18:30
Os trabalhadores alegam que a falta de servidores vem sobrecarregando a equipe (Foto: Nilzete Franco / FolhaBV)

Servidores da equipe de enfermagem da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal  do Hospital Materno Infantil Nossa senhora de Nazaré denunciaram o desfalque de funcionários, que tem prejudicado a execução de serviços de qualidade.

Eles afirmam que a situação atual viola a legislação vigente que preconiza um técnico de enfermagem para cada dois recém-nascidos na UTI. Segundo os servidores, a situação atual é de um técnico de enfermagem para oito recém-nascidos.

Os trabalhadores alegam que a falta de servidores vem sobrecarregando a equipe e contribuído para o declínio das condições físicas e psicológicas dos trabalhadores. "Muitos colegas de profissão se afastam por problemas psicológicos, crises de pânico, inclusive quando vamos nos manifestar sobre as péssimas condições de trabalho gritam e mandam nos calar".

PUBLICIDADE

Os servidores dizem ainda que a coordenação da UTI parece "estar estagnada" e que a mesma "assedia a equipe verbalmente, com desrespeito e impondo condições desumanas de trabalho".

OUTRO LADO - Sobre o caso, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) informou que a direção do Hospital Materno Infantil informa que os profissionais da unidade estão fortemente envolvidos na boa assistência materno-infantil.

A Sesau disse reconhecer que a superlotação de pacientes, sobretudo venezuelanas, que entram no hospital sem ter realizado o exame pré-natal e sem acompanhamento médico e se enquadram em gestação de alto risco, exige dos profissionais um envolvimento intenso, em decorrência da complexidade do quadro, e resulta num esforço maior de atendimento, "mas ele tem sido ofertado com sucesso".

Sobre eventual assédio verbal, supostamente praticado pela Coordenação de Enfermagem, a Direção do HMI informa que essa informação é inverídica. "Trata-se de profissional com grande experiência, que está buscando corrigir alguns problemas existentes na Unidade Neonatal e muitos profissionais estão contribuindo para que mudanças positivas ocorram, a fim de melhorar a assistência materno-infantil".

Embora questionada, a pasta não comentou sobre a previsão de contratação de novos servidores ou outra medida que pudesse facilitar o serviço no local.

***
Gostou?
6
7
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!