PUBLICIDADE
‘VERGONHOSO’
Ex-servidores de Rorainópolis cobram três meses de salários
Prefeitura diz que desconhece informações de que funcionários estejam sem receber, uma vez que para aqueles que foram exonerados no fim de outubro de 2018, resta apenas pagar o referido mês
Por Raisa Carvalho
Em 04/01/2019 às 00:25
Ex-servidores informaram à Folha que situação tem comprometido orçamento e causado outros prejuízos (Foto: Divulgação)

Três ex-servidores da Prefeitura de Rorainópolis reclamaram da falta de pagamento referente aos meses de outubro, novembro e dezembro. De acordo com o vigia André Teixeira de Galvão, ele foi demitido em 31 de dezembro e não recebe há quatro meses.

“Sem meu salário, não consegui pagar o aluguel de onde eu moro há seis anos. Pagava em dia e agora fui despejado. Não tenho lugar para morar e, às vezes, acabo dormindo no meu emprego. A minha reclamação não é sobre a demissão, mas é meu direito receber os meses em que trabalhei”, conta.

O gari Fábio Gomes dos Santos também relatou o atraso de pagamento há três meses. “Eu estou com a minha esposa grávida e não tenho o dinheiro para pagar os exames de ultrassom. Isso é vergonhoso. A prefeitura me tirou o direito de sustentar a minha família de maneira honrada”, disse.

Vastileia Soares, coordenadora de programa, disse que ao todo são 35 servidores exonerados. “Ontem, eu recebi o salário de setembro, mas ainda falta o pagamento de outubro. Minha indignação é com os órgãos fiscalizadores que devem averiguar o repasse do ICMS para a prefeitura com a finalidade de pagar os funcionários. A informação é que esse dinheiro foi usado para uma dívida com fornecedores”, afirmou.

OUTRO LADO – A Prefeitura de Rorainópolis afirmou desconhecer informações de que ex-servidores comissionados estejam sem receber três meses de salários, uma vez que para aqueles que foram exonerados no final de outubro de 2018, resta apenas pagar o referido mês.

Diante disto, ex-servidores comissionados irão receber o pagamento referente ao seu último mês trabalhado e também as rescisões, sendo o 13° proporcional aos meses trabalhados e as férias também proporcionais com o pagamento de outubro.

Com relação ao ICMS, que deve ser repassado semanalmente pelo governo do Estado, a prefeitura afirma que tem usado de forma justa e digna para pagamento de pessoal do Executivo Municipal.

“A Prefeitura de Rorainópolis vem articulando para que, em 2019, o repasse do ICMS e de outros tributos, como ISS e IPVA, seja feito conforme a legislação, para que possa ter mais suporte e autonomia no cumprimento de seus compromissos financeiros junto aos servidores”, encerra a nota.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!