Flamarion reassume na Assembleia afirmando harmonia entre poderes - Folha de Boa Vista
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA
Flamarion reassume na Assembleia afirmando harmonia entre poderes
Por Folha Web
Em 22/06/2017 às 00:47
Flamarion Portela deixou o Detran e voltou a ocupar vaga de deputado como suplente (Foto: Divulgação)

“Meu propósito aqui é construir pontes para chegarmos a um ponto harmonioso”. A afirmação é do deputado Flamarion Portela (sem partido) ao reassumir vaga na Assembleia Legislativa de Roraima, na manhã de quarta-feira (21), durante a sessão ordinária. O engenheiro reassume a vaga deixada por Chicão da Silveira (PP), que deve assumir a Secretaria Extraordinária de Pesca e Aquicultura.

Flamarion esteve à frente do Departamento Estadual de Trânsito de Roraima (Detran) por 19 dias, justamente no lugar de Chicão. Segundo ele, o retorno à Casa servirá para fortalecer principalmente a base governista, cujo líder é o deputado Brito Bezerra (PP). “A Assembleia Legislativa é uma Casa que nutro muito respeito sempre. É onde há um partilhamento de poder, não há um mando único como acontece no Executivo, às vezes no Judiciário”, disse.

Ele ressaltou a importância das bases manterem um convívio harmonioso. “Viver ou conviver de forma independente, mas harmoniosamente, respeitosamente, todos buscando fazer o seu trabalho porque somos agentes políticos e precisamos dar satisfação à sociedade”, disse ao complementar que todos devem “focar no Estado como um todo para transmitir à sociedade melhores perspectivas de vida”.

“Meu propósito é esse: pacificar, unificar as finalidades aqui e fazer com que a Assembleia possa ser um agente catalizador de programas e ações interessantes para o estado de Roraima”, disse ao ressaltar que defenderá os interesses do governo, mas com respeito à Assembleia Legislativa.

Sobre o pedido de afastamento da governadora protocolado na Casa, Portela disse considerar o ato extremo e criticou o relatório. “Acho que tem falhas. Os secretários que estavam na Pasta com certeza vão se justificar, mas não consigo alcançar até onde isso pode atingir diretamente a governadora”, defendeu.

Para ele, os decretos de emergência no sistema prisional não tinham o intuito de beneficiar empresas prestadoras de serviços de alimentação às unidades prisionais, mas amenizar o caos vivido pelo setor. “Ela fez olhando e focando, por orientação jurídica, um sistema prisional como um todo, e não como pontual”, frisou. “A gente pode dialogar, construir caminhos para que a coisa seja analisada com mais critério e chegar a um bom senso”.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
10
7
Cadastrar-me Enviar Comentário
gilberto marcelino disse: Em 22/06/2017 às 11:43:56

"Enquanto a ocupação de cargos continuar a privilegiar quem nada entende da matéria, obedecendo apenas a interesses políticos, pouco ou nada se pode esperar de qualquer governo. Suely Campos, a exemplo de seus antecessores, nos brinda com um mau exemplo de gestão de políticas públicas. "