CRISE MIGRATÓRIA
Governo Federal vai liberar R$ 100 milhões
Por Folha Web
Em 10/03/2018 às 00:55
Militares coordenarão ações em Roraima e Governo Estadual apoiará atuação com a Polícia Militar, Defesa Civil, Bombeiros e Setrabes (Fotos: Marcelo Rodrigues)

O Ministério do Planejamento deverá liberar, nos próximos dias, R$ 100 milhões para solucionar a grave crise dos migrantes venezuelanos em Roraima, por meio de Medida Provisória. Com essa verba, o Ministério da Defesa terá mais recursos para atuar na crise humanitária que o Estado enfrenta.

As primeiras ações do Governo Federal em relação à crise migratória venezuelana, prometidas na ocasião da visita do presidente Michel Temer a Roraima, começaram a ser desenvolvidas ontem, 9.

À tarde, uma comitiva formada pelo chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, almirante Ademir Sobrinho, e os generais Gustavo Dutra de Menezes, comandante da 1ª Brigada de Infantaria de Selva, e Eduardo Pazuello, comandante da Base de Apoio Logístico do Exército, se reuniram com a governadora Suely Campos para falar sobre as ações emergenciais que serão desenvolvidas em Roraima.

Pazuello será o coordenador operacional da atuação das forças armadas em meio à crise migratória. Ele será o responsável pela ligação entre as agências do Governo Federal e os governos estadual e municipal, para melhorar o atendimento aos imigrantes.

O almirante Ademir Sobrinho detalhou algumas das primeiras ações. “As Forças Armadas começaram nesta sexta-feira a distribuição de alimentos aos imigrantes que será intensificada a partir da semana que vem. Vamos começar a melhorar a situação dos abrigos e disponibilizar novos centros de acolhimento. Na fronteira, vamos intensificar a triagem e o controle dos imigrantes, direcionando-os para os centros de acolhimento ou auxiliando o processo de interiorização deles no País”, afirmou.

O chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas ressaltou a importância da parceria com o Governo Estadual para o êxito das ações. “Nós precisamos do apoio do governo, com a Polícia Militar, Bombeiros e assistência social. Porque não adianta só tirar essa gente das ruas e levá-las aos abrigos. Eles precisam ser assistidos. Então, essa é uma contribuição muito importante”, destacou.

Suely Campos destacou a rápida resposta do Governo Federal, atendendo à solicitação roraimense para coordenar o trabalho humanitário de auxílio aos venezuelanos. “Esse foi um pedido direto que fizemos ao presidente Temer. E já estamos vendo as primeiras ações efetivas sendo implantadas”, disse.

ALIMENTAÇÃO – Sobrinho detalhou que inicialmente o foco é fornecer alimentação para os imigrantes. “Nós calculamos que temos capacidade para servir até oito mil refeições por dia e abrigar cerca de seis mil pessoas, enquanto elas aguardam para ser interiorizadas ou receber atendimentos e retornar à Venezuela”, detalhou.

SAÚDE – Os militares irão assumir a gestão do hospital de Pacaraima. Eles farão um levantamento das necessidades da unidade para atender os imigrantes que chegam pela fronteira. Será implantada uma unidade de triagem, com vacinação na fronteira onde serão identificadas as pessoas doentes e encaminhadas para atendimento.

SEGURANÇA – O almirante Sobrinho falou ainda da atuação das Forças Armadas no fortalecimento das ações de segurança. “Nós intensificamos as patrulhas e a fiscalização na fronteira. Obviamente isso só terá maior efetividade quando tivermos para onde enviar esses imigrantes. Mas nós vamos ter um controle maior e uma das razões de nós termos vindo aqui com a governadora Suely é exatamente solicitar o apoio dos órgãos de segurança do Estado para nos auxiliar nessa grande tarefa. Porque nós só temos poder de polícia na faixa de fronteira, em crimes transfronteiriços. Então, para atuar em Boa Vista, nós precisamos do apoio dos órgãos de segurança pública, tanto federais, quanto estaduais”, lembrou.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!