Governo quer exigir vacinação de venezuelanos na fronteira - Folha de Boa Vista
BLOQUEIO VACINAL
Governo quer exigir vacinação de venezuelanos na fronteira
Hoje nada impede a entrada de venezuelanos pela fronteira com Roraima por conta do regulamento sanitário internacional
Por Luan Guilherme Correia
Em 27/03/2018 às 01:29
O pedido foi feito pelo Governo de Roraima, que enfrenta epidemia de sarampo após a migração desenfreada de venezuelanos (Foto: Arquivo/Folha)

Uma resolução internacional de 2005 proíbe que o Brasil exija a apresentação de documento que comprove a imunização de estrangeiros nas fronteiras com países sul-americanos. O aumento alarmante de casos de sarampo em Roraima, sendo a maioria importado da Venezuela, deve fazer com que o acordo seja revisto pelo Governo Federal.

O Ministério da Saúde (MS) anunciou esta semana que iniciou negociações com a Organização Mundial da Saúde (OMS) para obrigar venezuelanos que queiram entrar no Brasil pela fronteira com Pacaraima, ao norte de Roraima, a se vacinarem contra o sarampo, além de outras doenças que têm tido registros de surtos, como a difteria.

O pedido foi feito pelo Governo de Roraima, que enfrenta epidemia de sarampo após a migração desenfreada de venezuelanos desencadeada pela crise no país vizinho. Conforme o último balanço da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), 157 casos da doença já foram notificados, sendo 40 deles confirmados e duas mortes registradas.

Hoje nada impede a entrada de venezuelanos pela fronteira com Roraima por conta do regulamento sanitário internacional que não permite a exigência da carteira de vacinação. A mesma resolução deveria valer para todos os países da América do Sul. Na prática, no entanto, não é o que ocorre. No ano passado, a Venezuela voltou a obrigar a apresentação do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP), com registro de vacinação contra a febre amarela, para viajantes procedentes do Brasil.

Para a Sesau, caso os tratados internacionais sobre exigências para ingresso no país sejam revistos, uma eventual cobrança de comprovação de vacinação auxiliaria no controle de doenças infectocontagiosas que possam entrar pela fronteira com a Venezuela. “Neste caso, para entrar em território brasileiro, os imigrantes seriam obrigados a apresentar carteira de vacinação com todas as vacinas necessárias aplicadas pelo menos 10 dias antes do ingresso no país, tempo necessário para que a imunização faça efeito”, informou.

O órgão reforçou que cabe ao Governo Federal decidir sobre a exigência da situação vacinal completa por parte dos imigrantes que desejam entrar em solo brasileiro.

Até o momento, foram administradas cerca de três mil doses da vacina tríplice viral nas ações de bloqueio e intensificação vacinal, pelas equipes das vigilâncias municipal e estadual específicas para o público venezuelano. Em Pacaraima são imunizadas aproximadamente 400 pessoas por dia. (L.G.C)

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
1
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Manuel disse: Em 19/05/2018 às 11:30:58

"Bom poderiam fazer como eles... exigir o cartão de vacina bando de bestas.... o turminha de jumentos estes nossos."

caxiri disse: Em 28/03/2018 às 14:31:21

"para que os brasileiro entrem na Venezuela sempre foi exigido que estivéssemos com a carteira de vacinação em dia, e não era qualquer uma não! tinha que ser a internacional. já o estrangeiro que entra no nosso território não precisa vim nem sequer com os documentos! é uma bagunça sem limites. "

ggc disse: Em 28/03/2018 às 09:55:17

"nos somos obrigados a está com a caderneta de vacinaçao em dias para entrar la, porque o mesmo nao seria feito aqui, somos tratados igual lixo la, porque nao seria feito o mesmo aqui. sou adepto a meritocracia, temos que dar para ter. respeitar para ser respeitado. estao todos acomodados, sem fazer nada, esperando que o governo faça tudo por eles, e eles sendo um peso para nos."

Rildo Lopes disse: Em 27/03/2018 às 06:39:31

"O Estado deveria ter autonomia para tal decisão....Pois enquanto esperamos o governo federal o estado fica a mercer. Pq para o Brasil tudo é difícil e nada pode? Enquanto os outros países fazem o que querem com os Brasileiros? "