CRIME ORGANIZADO
Integrante de facção é preso com arma de fogo e munições
No celular do suspeito, policiais encontraram mensagens em que ele planejava assaltos e a morte de membros de uma facção rival
Por João Barros
Em 10/02/2018 às 00:43
Suspeito estava em posse de um revólver carregado com quatro munições intactas e duas deflagradas (Foto: Divulgação/Giro)

Enquanto realizavam patrulhamento de rotina pela rua Pedro Saraiva Coelho, no bairro Sílvio Leite, zona oeste de Boa Vista, no começo da noite da quinta-feira, dia 8, policiais que integram o Grupamento de Intervenções Rápidas Ostensivas (Giro) conseguiram prender o ex-presidiário D.L.S., de 21 anos, em posse de uma arma de fogo carregada com algumas munições.

A guarnição informou no Relatório de Ocorrência Policial (ROP) que avistou uma dupla em atitude suspeita numa motocicleta Honda/Fan e foi dada voz de parada, mas o piloto não obedeceu ao comando e iniciou fuga. O acompanhamento tático foi realizado e D.L.S. pulou do veículo, na tentativa de correr, mas foi abordado. Ele jogou o revólver calibre 38 carregado com seis munições, sendo duas deflagradas e quatro intactas.

O condutor da moto continuou a fuga e, segundo o comparsa, se trata de um foragido do sistema prisional conhecido pela alcunha de “Doutor”. Os policiais seguiram o elemento da moto, que quando se viu cercado abandonou o veículo e continuou a fuga correndo e pulando os muros de residências, levando as equipes a entrar em várias casas a fim de localizá-lo. Apesar das tentativas, o indivíduo não foi encontrado.

O ex-presidiário foi conduzido à Central de Flagrantes do 5º DP e, conforme o Giro apurou com algumas testemunhas e filmagens de câmeras de segurança, os disparos de arma de fogo no bairro Equatorial na tarde da quinta-feira foram efetuados pela dupla.

No celular de D.L.S., há imagens e mensagens nas quais os dois combinavam assaltos, alguns já executados, e outros que ainda deveriam ser praticados. Dentre as mensagens havia ainda a encomenda de morte de integrantes de facções rivais que seria realizada na companhia do vulgo “Doutor”. Nas mensagens ele também negociava a compra e venda de arma de fogo. Ele confessou ser integrante de uma facção criminosa, além de ter passagem por porte ilegal de arma de fogo.

A moto usada pela dupla foi apreendida e entregue na Central de Flagrantes do 5º DP, por ter sido usada no crime, mas não tinha restrição de roubo e furto. (J.B)

***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!