INOCENTEMENTE
Jovem é morta por bandidos que tentavam matar vizinho
Ao ser alvejado, vizinho da vítima correu para a frente da casa dela, quando a mulher foi atingida no abdômen
Por João Barros
Em 10/10/2018 às 04:31
As vítimas dos disparos foram socorridas, mas a Thayse Dantas acabou morrendo na unidade médica (Foto: Divulgação)

Todos os dias são registrados casos de violência nas Delegacias de Boa Vista e, ultimamente, com mais frequência, os homicídios e tentativas de homicídio, crimes que fazem parte da rotina de quem mora na Capital. Pouco depois das 21h da segunda-feira, dia 8, uma jovem, identificada como Thayse Rayane Dantas Silva, 26 anos, foi baleada e o vizinho dela alvejado. Ela acabou morrendo em decorrência do tiro. O fato ocorreu na avenida dos Garimpeiros, bairro Alvorada, zona oeste da Capital.

Segundo a guarnição que atendeu a ocorrência, o chamado foi feito via Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) e, assim que chegou ao endereço, descobriu que as vítimas já tinham sido socorridas, mas conversou com testemunhas que explicaram como se deram os fatos. Segundo o relato de quem presenciou o crime, dois homens foram os autores do homicídio e da tentativa de homicídio.

Os elementos chegaram em uma moto modelo Honda/Titan, cor cinza, aproximaram-se e começaram a disparar contra o desafeto, de 19 anos. Para tentar fugir dos tiros, o indivíduo correu em direção à residência onde Thayse morava com a família, ocasião em que ela acabou sendo alvo de um dos tiros, que acertou a região do abdômen. O verdadeiro alvo dos bandidos foi alvejado no ombro.

Depois de efetuaram pelo menos cinco disparos, os criminosos fugiram, tomando rumo ignorado. As duas vítimas foram levadas para a Policlínica Cosme e Silva, no bairro Pintolândia, mas apesar dos esforços da equipe médica, Thayse não resistiu ao ferimento causado pelo tiro e morreu. O jovem ferido no ombro foi atendido e liberado.

Os policiais fizeram buscas pelas imediações do local onde as vítimas foram abordadas, mas não conseguiram encontrar qualquer suspeito com as características relatadas pelas testemunhas. Câmeras de residências próximas podem ter flagrado toda a ação dos criminosos.

Ainda no fim da noite da segunda-feira, o esposo da jovem foi até a Central de Flagrantes do 5º DP para registrar o Boletim de Ocorrência (B.O) e disse que estava juntamente com Thayse em frente à casa onde moram quando os dois indivíduos chegaram e começaram a atirar, segundo ele, com um revólver calibre 38. 

Os tiros eram direcionados para o vizinho, mas para buscar refúgio, correu para casa da jovem que acabou recebendo um dos tiros que acertou a barriga, próximo ao umbigo. O esposo da vítima disse também não sabe a motivação pela qual os criminosos tentaram matar seu vizinho, sabendo apenas informar que o alvo dos disparos é ex-presidiário.

Por fim, o esposo de Thayse declarou que ouviu o autor dos tiros dizer: “Aqui é PCC [fazendo referência à facção criminosa Primeiro Comando da Capital], teu natal é hoje”, iniciando a sessão de disparos com a arma de fogo.

Na manhã de ontem, dia 9, a reportagem da Folha foi até o Instituto de Medicina Legal (IML) e encontrou a família
da jovem no local para fazer a liberação do corpo ao fim do exame de necropsia. O caso está sendo investigado pela Delegacia-Geral de Homicídios (DGH), em busca de elucidação. Até o fim da tarde dessa terça-feira, ninguém tinha sido preso como autor do crime. (J.B)

***
Gostou?
0
2
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!