PUBLICIDADE
OPERAÇÃO ACOLHIDA
Mais 240 venezuelanos participam de interiorização
Imigrantes embarcam até sexta-feira, 15, para sete Estados: Rio Grande do Norte, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul
Por Paola Carvalho
Em 11/02/2019 às 00:35
Primeira viagem ocorreu na noite de ontem, 10, quando uma família embarcou para Natal já com sinalização de vagas de emprego (Foto: Divulgação/Exército Brasileiro)

O processo de interiorização do governo federal vai atender mais 240 venezuelanos até a próxima sexta-feira, 15. A previsão é que famílias de imigrantes que vivem em Boa Vista embarquem nos próximos dias para sete Estados: Rio Grande do Norte, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

De acordo com informações prestadas pela Força-Tarefa Logística Humanitária, a primeira etapa do mais recente processo de interiorização ocorreu ontem, 10, por volta das 21h. Uma família venezuelana saiu do Aeroporto Internacional de Boa Vista e embarcou para Natal, no Rio Grande do Norte, na modalidade "vaga de emprego sinalizada".

Amanhã, 12, a previsão é que embarquem mais uma família e um venezuelano às 12h50 com destino a Santa Catarina. No dia seguinte, imigrantes serão interiorizados novamente para o Rio Grande do Norte, desta vez na modalidade institucional, ou seja, quando saem de abrigo para abrigo. O embarque está previsto para as 19h30.

Já na sexta-feira, 225 venezuelanos decolam para Curitiba, capital do Paraná. Lá, alguns serão acolhidos por instituições não governamentais e outros seguirão para o Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. A partida está prevista para as 8h.

INTERIORIZAÇÃO - As etapas anteriores do processo de interiorização ocorreu em 3 de fevereiro, quando 99 imigrantes venezuelanos saíram de abrigos em Roraima para desembarcar no Aeroporto Internacional de Campo Grande. Já no dia 5 de fevereiro, mais 100 foram transferidos para Dourados, no Mato Grosso do Sul.

Segundo a Força-Tarefa Logística Humanitária, a transferência de mulheres, crianças e homens venezuelanos de Roraima para outros Estados é um dos eixos da Operação Acolhida, que reúne as Forças Armadas, diversos ministérios, agências do Sistema ONU no Brasil e entidades da sociedade civil organizada.

A interiorização é um processo voluntário, no qual todos os beneficiários são previamente registrados e recebem auxílio na obtenção da documentação necessária para a regularização no Brasil. A Operação Acolhida certifica que cada indivíduo esteja devidamente vacinado e com seus exames de saúde atualizados.

Até o momento, cerca de 4.400 solicitantes de refúgio e migrantes venezuelanos já foram realocados para outras partes do País. (P.C.)

***
Gostou?
0
0
PUBLICIDADE
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!