SAÚDE FEMININA
Médico explica os principais sintomas do climatério
Com o fim da menstruação, há uma diminuição na produção dos hormônios sexuais femininos, o que pode resultar em uma série de mudanças no corpo da mulher
Por Raisa Carvalho
Em 25/05/2018 às 07:19
Médico dá dicas para enfrentar as variações hormonais típicas do climatério (Fotos: Divulgação)

Quando as mulheres chegam à idade entre 40 e 50 anos, ocorrem mudanças no organismo, essa fase é conhecida como climatério. As mudanças hormonais e os sintomas desse período causam desconfortos e dúvidas em relação à saúde sexual feminina. 

De acordo com o endocrinologista e metabologista, César Penna, o climatério é uma fase de limites imprecisos na vida feminina, e muitas mulheres podem passar por dificuldades nesse período.

A chegada da menopausa aumenta gradualmente a incidência dessas enfermidades no sexo feminino. Semelhantes às sensações causadas pela Tensão Pré-Menstrual (TPM), embora mais intensas e prolongadas, as mudanças podem ser caracterizadas de acordo com as fases.

De cada quatro mulheres, pelo menos três experimentam sintomas desagradáveis. As ondas de calor resultantes de sintomas vasomotores são os mais comuns e estão presentes em 60% a 75% das mulheres.

“Surgem sintomas como crises de calor sufocante no tórax, pescoço e face, muitas vezes acompanhadas de rubor no rosto, a temperatura da pele chega a subir cinco graus, sudorese, palpitações e ansiedade também são comuns. As crises geralmente duram de um a cinco minutos e podem repetir-se diversas vezes por dia”, explica o médico.

A queda dos níveis dos hormônios sexuais altera a consistência do revestimento da vagina, da uretra e das fibras do tecido conjuntivo. A menor produção de estrogênio modifica os níveis de dopamina, noradrenalina e serotonina em certas áreas do sistema nervoso central. Como consequência, as mulheres no climatério estão sujeitas a quadros depressivos, dificuldade de memorização, irritabilidade, melancolia, crises de choro, humor flutuante e labilidade emocional.

“Entre os sintomas podem surgir incontinência urinária, ardência à micção, facilidade para adquirir infecções urinárias e corrimentos ginecológicos. Os músculos que formam o assoalho responsável pela sustentação dos órgãos genitais e bexiga enfraquecem”, conta.

Segundo o médico, os pelos pubianos ficam mais ralos, os grandes lábios mais finos, a mucosa vaginal perde elasticidade e flexibilidade podendo sangrar e doer durante o ato sexual. “Entre as queixas frequentes, estão a diminuição da resposta à estimulação clitoriana, secura vaginal e redução da libido. A fisiologia do orgasmo, no entanto, não é alterada”, relata.

A falta de estrogênio resseca e torna a pele mais fina, enrugada, menos elástica e as unhas frágeis. Os pelos pubianos e axilares se tornam mais ralos. O colágeno da derma mais profunda começa a ser perdido a uma velocidade média de 2% ao ano, durante os 10 primeiros anos de menopausa.

Dicas

Existem medidas que podem trazer alívio dos sintomas do climatério. Isso não descarta a necessidade de consulta a um especialista e realização de exames para identificar a tomada de medicação e a dosagem correta.

Consuma alimentos antioxidantes

Inclua soja e derivados na sua dieta

Aposte no vinagre de maçã

Prefira as carnes magras

Acrescente linhaça na dieta

Pratique atividades físicas com regularidade

Diminua o consumo de bebidas alcoólicas

Abandone o tabagismo

Evite alimentos fermentados

Prefira sucos naturais e chás

***
Gostou?
2
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!