DIA D DE VACINAÇÃO
Meta de cobertura pode não ter sido atingida durante campanha
Além de oito casos confirmados, o Estado tem hoje 38 suspeitos que estão sendo investigados
Por Ana Gabriela Gomes
Em 12/03/2018 às 01:42
As crianças eram as que mais procuraram a vacina e também foram o foco da campanha (Foto: Diane Sampaio)

Todos os 15 municípios de Roraima foram palco da antecipação da Campanha de Vacinação contra o Sarampo, no último sábado, 10, que tenta evitar que o surto que atinge o Estado vire epidemia. Com oito casos da doença confirmados e 38 suspeitos, a meta da ação era vacinar 400 mil pessoas. No entanto, a cobertura total pode não ter sido atingida e a campanha de vacinação contra o Sarampo prossegue até o dia 10 de abril, nos postos municipais de saúde. Os dados ainda não foram divulgados pelas assessorias de comunicação do Governo de Roraima e da Prefeitura de Boa Vista, que informaram que as estatísticas da campanha seriam disponibilizadas apenas na segunda-feira, 12.

Durante todo o sábado, a equipe de reportagem da Folha percorreu vários postos da cidade e, conforme constatou, a maioria dos pontos de vacinação, localizados próximos ao Centro fecharam antes do horário previsto por conta da falta de pessoas interessadas na vacinação. Na zona Oeste, a procura foi maior, ainda que visivelmente tenha sido abaixo do que acontece em outras campanhas.

No entanto, a coordenadora-geral de Vigilância em Saúde, Daniela Souza, considerou o Dia D da Campanha de Vacinação como um sucesso. “Estivemos nos 15 municípios. Tivemos mais de 180 pontos de imunização, atendendo simultaneamente em todo o Estado, e todos estiveram muito movimentados. Tivemos a adesão da população, que está buscando se proteger, para que evitemos um surto de sarampo. Isso é o mais importante”, ressaltou a coordenadora.

Até o dia 10 de abril, novas estratégias serão traçadas para vacinar a maior quantidade possível de pessoas. O intuito era vacinar todas as pessoas de seis meses a 49 anos de idade, brasileiros e imigrantes venezuelanos, que não tivessem sido vacinados ou que não tivessem cartão de vacina. No sábado, a campanha foi encerrada às 17h.

O Brasil permanece com o certificado de eliminação da doença, concedido pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), apesar da situação de Roraima. Entre 2013 e 2015, ocorreram surtos relacionados à importação, sendo que o maior número de casos foi registrado nos Estados de Pernambuco e Ceará, totalizando 1.310 casos confirmados. O certificado de eliminação foi recebido em 2016.

APOIO - Uma equipe do Ministério da Saúde permanece na região para acompanhar as ações e prestar orientação no enfrentamento da situação. No final de fevereiro, o Ministério da Saúde (MS) realizou um treinamento para 277 profissionais de saúde e 26 técnicos sobre aspectos gerais da doença e ações de vigilância epidemiológica. Além disso, a pasta apoiou os gestores locais na revisão de mais de 42 mil prontuários e fichas de atendimento, com o intuito de encontrar casos de sarampo que possam ter passado despercebidos pela assistência.

RECURSOS - Para ampliar a capacidade de atendimento no Estado de Roraima, o Ministério da Saúde reforçou a Atenção Básica com recursos de R$ 2,5 milhões, que possibilitou a habilitação de 11 Agentes Comunitários de Saúde, 10 equipes de Saúde da Família, nove equipes de Saúde Bucal, três Núcleos de Apoio à Saúde da Família e quatro Unidades Odontológicas Móveis. (A.G.G)

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!