TRF-4
Nova decisão determina que Lula permaneça preso
O desembargador do TFR-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região),Pedro Gebran Neto, ao ser provocado pelo Ministério Público, analisou que não há fatos novos para a soltura.
Por Folha Web
Em 08/07/2018 às 13:42
Ambas as decisões foram tomadas no âmbito do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (Foto: TRF-4)

O processo de soltura do ex-presidente Lula (PT), que já havia sido iniciado pela PF (Polícia Federal) foi interrompido há pouco em razão de uma nova decisão.  O desembargador, TFR-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), João Pedro Gebran Neto determinou que a decisão do colega, o também desembargador Rogério Favreto, emitida na sexta-feira, dia 6, e em cumprimento nesse domingo, dia 8, não fosse cumprida.


Gebran analisou que o colega, que tomou uma decisão de maneira monocrática, querendo se sobrepor a um colegiado, que julgou a perda de liberdade do ex-presidente, teria sido induzido ao erro pelos impetrantes do habeas corpus, os deputados Wadih Damous, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira, do PT (Partido dos Trabalhadores), pois não havia fatos novos que se justificasse a determinação.

Saiba mais:

Ex-presidente pode sair da prisão a qualquer momento

Luciana disse: Em 08/07/2018 às 16:53:39

"Ele não foi induzido, Elle mandou soltar porque quiz, por ser petista, o desembargador queria ser um Pedro Álvares da vida. "