PUBLICIDADE
COM TRÊS TIROS
Família acredita que jovem foi assassinado por engano 
Por João Barros
Em 18/07/2019 às 00:15
Segundo o pai, Jones Markson Pereira da Silva era trabalhador e nunca foi preso (Foto: Aldenio Soares)

A reportagem da Folha conversou com pai do jovem Jones Markson Pereira da Silva, de 23 anos, cujo corpo foi encontrado na sexta-feira, 12, no quilômetro 2 da BR-174, próximo ao Anel Viário, sentido Norte do Estado, com três marcas de tiro na cabeça. Ainda muito consternada, a família disse acreditar que o rapaz tenha sido morto por engano.

De acordo com o pai da vítima, um dia antes do crime Jones disse que depois de sair do trabalho foi em uma entrevista de emprego. Depois disso ligou para o pai dizendo que ia dormir em sua residência e pedindo dinheiro para se deslocar do bairro Santa Tereza até sua casa. 

A tia que mora com ele contou que Jones deixou o telefone, a carteira com todos os documentos dentro do quarto e saiu do apartamento às 19h da quinta-feira, afirmando que retornaria logo, mas desapareceu misteriosamente. O pai relatou que ligou para a vítima e seu irmão também fez a mesma coisa, no entanto as ligações não eram atendidas.

PUBLICIDADE

Na manhã do dia seguinte o corpo foi encontrado e pouco tempo depois os familiares procuraram o IML (Instituto de Medicina Legal) e fizeram o reconhecimento e a liberação. O pai reforçou que Jones não tem antecedentes criminais, sempre foi um bom rapaz e sequer foi preso. Além disso, o patrão do jovem afirmou que ele era um excelente profissional e foi surpreendido com a morte dele, principalmente pela força com que foi assassinado.

Por fim, a família destacou que acredita na inocência do jovem por ter uma vida de dedicação ao trabalho, de modo que sua rotina era trabalhar e retornar para casa. O celular da vítima vai ser entregue à Polícia para ser periciado e com as informações, o pai acredita que o caso será elucidado e os suspeitos presos.

As investigações estão sendo realizadas pela Delegacia Geral de Homicídios (DGH) desde a sexta-feira. No local onde o corpo estava não havia evidências de sangue e cápsulas deflagradas, assim, a polícia acredita na possibilidade da vítima ter sido morta em outro local e apenas jogada às margens da rodovia. 

***
Gostou?
3
0
Josy disse: Em 18/07/2019 às 00:40:17

"Quanta crueldade! Deus conforte os corações apertados e sangrando dos familiares deste jovem!!! Que absurdo, estão banalizando a vida das pessoas... Muito triste isso tudo."