PUBLICIDADE
CRIMINALIDADE URBANA
Familiares de adolescente morta por facção se juntam às buscas
Laura Rosa Marinho, de 17 anos, teria sido assassinada na tarde da segunda-feira, 19, no João de Barro. O trabalho é considerado complexo por conta da extensão da área
Por Minervaldo Lopes
Em 22/08/2019 às 11:00
Peças de roupas encontradas na localidade podem ser de jovem morta por facção criminosa (Foto: Aldenio Soares)

As buscas pelo corpo de Laura Rosa Marinho, de 17 anos, ganharam ontem, dia 21, o reforço dos próprios familiares. A adolescente teria sido assassinada na tarde da segunda-feira, 19, na área de interesse social conhecida como “João de Barro”, a mando de uma facção criminosa que atua no Estado.

À FolhaWeb, o pai da vítima relatou que em razão da complexidade do caso e pela extensão da localidade, os trabalhos de buscas estão sendo realizados por etapas. “É uma área muito grande, então o trabalho é bem mais complicado por conta disso”, completou.

O homem relatou ainda que toda a família está abalada com o que aconteceu com Laura Rosa, e que por conta da forma como a filha foi morta, está tendo que tomar medicamentos. “É até difícil falar sobre isso. Todos nós estamos devastados”, disse.

PUBLICIDADE

Durante os trabalhos, as equipes policiais que atuam no caso encontraram peças de roupas que podem ser da vítima. Um drone também está sendo utilizado para mapear a área onde adolescente teria sido morta. Pelo menos oito pessoas estariam envolvidas no caso, sendo que duas delas morreram durante uma troca de tiros com a polícia.

O pai de Laura Rosa também agradeceu o apoio que a imprensa tem dado sobre o caso. A matéria completa você confere na Folha Impressa desta sexta-feira, 23.

Colaborou o repórter João Barros.

***
Gostou?
8
1
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!