PUBLICIDADE
 “AMIGO” DA FAMÍLIA
Homem é suspeito de estuprar criança de quatro anos  
Por João Barros
Em 17/08/2019 às 00:15
A mãe da vítima foi até a Central de Flagrantes registrar B.O e pedir providências (Foto: Aldenio Soares)

A mãe de uma criança de apenas quatro anos procurou a Delegacia na noite desta quinta-feira, 15, para informar que um “amigo” da família, que sempre teve acesso a sua residência, foi denunciado pela filha e pela sobrinha como autor de um estupro que teria sido praticado horas antes. Segundo a mãe, quem flagrou a ação criminosa foi a sobrinha adolescente, de 14 anos.

A mulher destacou que o homem que tem 40 anos há muitos anos entra e sai de sua casa livremente e que, naquela tarde, a sobrinha viu o sujeito passando a mão nas partes íntimas da criança e também esfregando o órgão genital dele no peito da menina. 

PUBLICIDADE

A dona de casa procurou o suspeito para uma conversa e ele negou, inclusive disse que jamais praticaria um ato desta natureza porque sabe as consequências dentro de um presídio, uma vez que já foi preso por ter causado um homicídio na condução de veículo automotor. Depois disso, o homem foi embora.

A mãe da vítima ligou para a Polícia Militar, mas assim que os policiais chegaram à residência, a criança ficou nervosa, chorou muito e a dona de casa decidiu que levaria a filha por conta própria à Delegacia. A menina será submetida a exame de conjunção carnal e terá acompanhamento psicossocial. A mãe pede providências e o caso foi encaminhado ao Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (NPCA), que fará as investigações.

“Eu não sabia disso. Eu vim registrar e pedir providências porque eu não esperava isso, minha família não esperava. Sem saber o que fazer, vim atrás das autoridades para tomarem ciência porque vai ficar um trauma na vida da minha filha. Eu já passei por isso, sei o quanto é ruim. Quero justiça porque não sei como vai ficar a vida da minha filha que só tem quatro anos. Eu não sei dizer quanto tempo faz que ele [suspeito] faz isso. Ele é um senhor que a gente considerava da família”, desabafou a mãe. (J.B)

***
Gostou?
0
1
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!